Feira de produtos hortigranjeiros produzidos no Case será inaugurada

0
107

Atividade ocorre na próxima sexta-feira (3), em frente ao Case, das 14h às 17h30

A partir da próxima sexta-feira (3), a comunidade santo-angelense poderá adquirir hortaliças 100% orgânicas que serão comercializadas pelo Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Santo Ângelo. A feira de produtos hortigranjeiros será inaugurada na frente do Centro, com venda das 14h até as 17h30.

A iniciativa é uma continuidade do trabalho desenvolvido no local, que possui horta com 200 metros quadrados de área construída coberta e mais 600 metros quadrados descobertos. Desde o mês de dezembro, quando ocorreu a inauguração da horta orgânica modernizada, que na oportunidade recebeu cobertura com plástico protetor para raios UV, o total de 2 mil mudas de hortaliças foram plantadas.

Diversas variedades são cultivadas no local, como alface, rúcula, brócolis, salsa, cebolinha, entre outros temperos, na parte coberta. No lado de fora, ainda são produzidos milho e melancia. A estrutura ainda é irrigada com sistema de captação da água da chuva do telhado da unidade.

Na feira de produtos hortigranjeiros, as hortaliças serão comercializadas com valor a partir de R$ 1,00. Até então, os produtos eram comercializados para os funcionários do Case, comunidade vizinha e para os familiares dos jovens que cumprem penas socioeducativas no Centro.

Com a iniciativa, pioneira no Estado, o Case Santo Ângelo está “colhendo os frutos” em várias frentes. Além de disponibilizar produtos de qualidade para a comunidade, oferece aos jovens do Centro a oportunidade de trabalharem em uma atividade diferenciada: são eles que cultivam e mantém a horta, e que farão as vendas na feira, sob supervisão de socioeducadores. No total, 56 jovens cumprem penas socioeducativas no Case, sendo que 17 deles têm a possibilidade de trabalhar na horta.
E estes jovens também colhem os frutos de seu próprio trabalho. Com o valor arrecadado na venda de produtos da horta, são realizados os passeios a partir da iniciativa “ficha limpa”. Funciona da seguinte forma: para terem direito a participar das atividades, os jovens precisam ter 30 dias sem nenhuma falta disciplinar no Centro. A partir do “ficha limpa”, ocorrem passeios para o cinema, para outros municípios e até mesmo para Porto Alegre para acompanhar jogos da dupla Gre-Nal. “Todo o valor arrecadado é desenvolvido em atividades para os jovens”, reforça o vice-diretor do Case, Riade Nowicki Mustafa.

O coordenador do projeto da horta, Ethor Martins, explica que os jovens serão responsáveis por toda a logística de organização da feira e destaca a importância das atividades da horta e dos passeios pelo “ficha limpa”, proporcionando oportunidades e vivências que muitos não teriam. “Nosso papel aqui é mostrar para eles o outro lado da vida, o lado das coisas boas, tentando devolver estes jovens para a sociedade melhores do que entraram no sistema socioeducativo. O que se percebe é que o que ocorreu com muitos foi a falta de oportunidade”, reflete.
Junto do coordenador e dos jovens, também desempenham atividades na horta os socioeducadores Paulo Mombachk, Diogo Renner e Marcos Azeredo. A previsão é de que a feira de produtos hortigranjeiros seja realizada inicialmente uma vez por mês, podendo ser feita em mais oportunidades conforme a produtividade da horta.

No Rio Grande do Sul, o Case de Santo Ângelo é vanguardista no projeto da horta, sendo que além da capital das Missões, o Case de Passo Fundo também possui um projeto como este em fase de implementação. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here