Fórum Regional define demandas em que eleitores poderão votar na Participação Popular e Cidadã

0
100

Em junho, cada eleitor poderá votar em quatro opções no campo 1 e em até duas no campo 2

Foram definidas, durante o Fórum Regional do Programa de Participação Popular e Cidadã, as demandas que vão compor a cédula de votação neste ano. O fórum foi realizado na noite da última quarta-feira (7), no auditório do prédio 13 da URI Santo Ângelo, e teve a participação de delegados natos e eleitos em assembleia municipais dos 25 municípios do Corede Missões.

A cédula contém 20 demandas no campo 1 e cinco demandas estruturantes no campo 2. Na região, o governo do Estado aplicará R$ 5.195.000 no orçamento de 2015. A votação será nos dias 2, 3 e 4 de junho pela internet, e no dia 4 de junho por meio das cédulas de papel. Cada eleitor acima dos 16 anos poderá votar em até quatro ações no campo 1 e em até duas no campo 2. A distribuição dos mais de R$ 5 milhões por área temática terá a seguinte divisão: 1ª área mais votada: 20%; 2ª: 18%; 3ª: 16%; 4ª: 14%; 5ª: 12%; 6ª: 10%; 7ª: 5%; 8ª: 5%. Como prêmio de participação, serão contemplados, com 10% do valor total, os quatro municípios mais bem colocados na proporção votantes/número de eleitores. A divisão será 40%, 30%, 20% e 10%.

O fórum foi uma realização do governo do Estado, por meio da Secretaria de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, em parceria com o Conselho Regional de Desenvolvimento Missões (Corede) e os Conselhos Municipais de Desenvolvimento (Comudes). Quase 200 delegados estiveram presentes. “A participação foi muito boa, não só pela quantidade de pessoas, mas também pela qualidade dos debates. Tivemos presidentes dos Comudes, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores. Foi um momento qualificado; conseguimos cumprir nosso papel nessa etapa”, analisa Hed Vilson Pires, coordenador regional do programa.

Pelos níveis dos debates e pelo envolvimento da população até aqui, Hed Vilson considera que esta deverá ser a maior edição da Participação Popular e Cidadã nos quatro anos do governo Tarso Genro. “É o quarto ano de governo e o processo está muito mais maduro, os níveis de discussão estão melhores. Acreditamos que vamos superar todos os anos anteriores em termos de votação”, conclui.