Fotógrafo Fernando Gomes receberá comenda da Cruz Missioneira na segunda

0
106

Entrega da homenagem será feita durante a sessão do Legislativo

A Câmara de Vereadores de Santo Ângelo fará a entrega, na próxima segunda (22), de comenda da Cruz Missioneira ao repórter fotográfico Fernando Gomes, 47 anos. A comenda é uma alta honraria entregue pelo Legislativo municipal e conferida a personalidades que tenham, por qualquer meio, prestado serviços em prol da comunidade santo-angelense.

Além de reconhecer o talento e os trabalhos realizados na área da cultura, turismo, educação, esporte, lazer e utilidade pública, a homenagem marca os 30 anos de atividades do fotojornalista, que hoje atua na assessoria de imprensa do Legislativo. O pedido pela concessão da Cruz Missioneira, subscrito pelo presidente da Câmara Vinícius Makvitz (PMDB), pelo vice-presidente Pedro Waszkiewicz (SDD) e pelo secretário da Mesa Diretora, Diomar Formenton (PT), contou com aprovação unânime em plenário.

Conforme explicou o chefe da Casa Legislativa, Gomes é autor de imagens que configuram-se em importantes registros históricos de Santo Ângelo e região. “Por meio de seu trabalho, o município ultrapassa fronteiras. Por inúmeras vezes a cidade e a região estiveram representadas pelo trabalho realizado por este renomado profissional”, afirmou Makvitz.

Atento aos detalhes, o fotógrafo é autor de imagens premiadas em âmbito estadual e nacional. Entre os inúmeros registros fotográficos já realizados por Gomes, destacam-se aqueles que representam a cultura sulina e missioneira. A homenagem terá início às 19h, no Plenário da Câmara de Vereadores. Todos são convidados a prestigiar.

30 ANOS DE FOTOJORNALISMO
Nascido na cidade de Guarani das Missões, Fernando Gomes teve seu primeiro contato com a fotografia ainda na adolescência. Sem querer, começou a fotografar e obter bons resultados com seu trabalho e, desde então, nunca mais parou.

Seu currículo é extenso. Iniciou sua carreira no Jornal das Missões. Trabalhou, também, para o jornal A Tribuna Regional. Como freelancer, prestou serviços para os diários Correio do Povo e Zero Hora. Em 2005 assumiu o departamento de fotografia da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Santo Ângelo, na qual permaneceu até o final de 2012.

Atualmente, ocupa o cargo de assessor de imprensa da Câmara de Vereadores de Santo Ângelo. Paralelamente a isso, Gomes realiza inúmeras exposições. Entre elas ressalta-se a realizada em 1997 – as fotografias retratavam a realidade do Presídio Regional de Santo Ângelo e foram expostas em diversas cidades do Estado.

No ano de 1998, participou de um concurso fotográfico cujo tema era o cotidiano do município de Santo Ângelo, obtendo a 1º colocação. Anos depois, foi contemplado com o troféu “Briquito”. Em 2006, o fotógrafo participou da exposição com o tema “Índios Guaranis”. No ano seguinte, Fernando foi destaque no 3º Concurso Sesc de Fotografias, no qual suas imagens percorreram o Estado, com uma delas sendo publicada no livro “Etnias do Sul do Brasil”.

Suas imagens estão estampadas em dezenas de capas de livros, revistas e sites voltados à cultura. Em 2007, uma de suas imagens ilustrou a capa do livro “300 anos da Redução Jesuítica Santo Ângelo Custódio”, lançado na Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio de Janeiro. Em 2008, participou da 5ª Maratona de Fotografia de Curitiba e teve sua foto entre as 20 melhores do País, disputando com 2 mil imagens. Internacionalmente, participou de concursos fotográficos na Espanha e em Portugal.

O principal prêmio do fotógrafo foi conquistado em 2006, faturando um automóvel 0 km no concurso Retratos do Rio Grande, organizado pela Rede Sonae, governo do Rio Grande do Sul e Rede Pampa de comunicação. A imagem “Chegada da Chama Crioula à Praça Pinheiro Machado” foi a melhor entre todas as inscritas no concurso, que envolveu fotógrafos de diversas cidades do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Para comemorar os 30 anos de profissão, Fernando Gomes inovou e realizou, neste ano, uma exposição on-line por meio de seu perfil no Facebook.

Ao falar da região das Missões e da cultura missioneira, Fernando destaca o prazer que sente em fotografar essa realidade. “A região das Missões diferencia-se das demais regiões do Estado e do País. É possível registrar aqui, com grande naturalidade, e em qualquer momento, cenas inusitadas para os outros territórios, como a relação homem e cavalo, o semblante dos índios, a terra vermelha, o louvor as nossas raízes e assim por diante.”

Além disso, Fernando destaca a bagagem cultural que a região das Missões possui. “Toda vez que penso e leio sobre a nossa história, sobre tudo que aqui se passou, desde as lutas até os ensinamentos artísticos, sinto-me uma pessoa privilegiada por poder registrar diariamente, por meio da fotografia, a herança de um período que marcou e que fez nascer o nosso Estado”, reitera.