Geada e chuvas provocam prejuízos ao trigo

0
97

Nas lavouras de Nardeli Cassel, na localidade de Atafona, as perdas preliminares chegam a 50%

 Depois da geada, agora são as ventanias e as chuvas constantes que estão trazendo prejuízos as lavouras de trigo, em Santo Ângelo.
Depois de quase três meses, a reportagem do JM retornou à localidade de Atafona, onde o triticultor Nardeli Cassel plantou 50 hectares de trigo e esperava repetir a ótima safra de 2011.

Em julho, Nardeli testemunhava que o clima contribuía para o desenvolvimento das plantas, em sua fase inicial. Nesta quinta-feira (11), o relato era de preocupação.

“As perdas podem chegar a 50% da safra, sem contar a qualidade do grão que diminuirá e dificilmente chegaremos ao PH 78”, conta.

O vento e a chuva provocaram o chamado acamamento (achatamento) do trigo. “Em algumas áreas das nossas lavouras, os prejuízos foram menores. Se a minha previsão era colher 50 sacas por hectare, agora vamos colher apenas 25 ou 30 sacas”, estima Cassel, que deverá iniciar a colheita daqui a 15 dias.

O chefe do Escritório Municipal da Emater, Álvaro Rodrigues, diz que prejuízos também foram registrados nas localidades de Restinga Seca e Lajeado Micuim. “Os problemas são apenas isolados, ou seja, em algumas propriedades, especialmente aquelas localizadas em baixadas, onde haverá perda de qualidade dos grãos”, frisa.

Rodrigues diz que antes das intempéries, ocorreram problemas com doenças fúngicas, tais como ferrugem e manchas folhares, mas que já foram solucionados.

No município foram plantados 15,5 mil hectares do cereal, sendo que 30% está na fase de enchimento de grãos e 70% em maturação. “Por enquanto, mantemos a nossa expectativa de produtividade média inicial que é de 40 sacas por hectare, mas são necessários dias mais secos e com intensa luminosidade a fim de alcançar o padrão de qualidade do grão.