Geada pode provocar dano irreversível no trigo

0
271
Lavouras estão em fase de de floração. Foto: Arquivo JM

Os danos maiores com geada acontecem no espigamento e na floração do trigo, quando, além de falhas na granação pode ocorrer a morte total da espiga.

Embora sejam consideradas fundamentais para um desenvolvimento satisfatório das lavouras de inverno, as baixas temperaturas podem formar geadas, o que causa danos às plantas.

A geada se forma quando a temperatura tinge uma faixa negativa e é observada com mais força nas baixadas, onde o frio se concentra ou ainda nas encostas que estão voltadas para o Sul.

Os prejuízos nas lavouras de trigo podem ser comprovados cerca de uma semana depois da formação da geada, quando os estragos como a queima das folhas ou espigas ficam à mostra.

Àlvaro destaca registros dos produtores informando que a geada foi forte. Foto: Arquivo

O agrônomo e chefe do escritório local da Emater, Àlvaro Uggeri Rodrigues, afirma que a busca pelos dados dos reflexos das geadas nas lavouras teve início ainda nesta sexta-feira (21). Segundo ele, a geada foi forte e os possíveis prejuízos serão variáveis com a intensidade da geada, fase do trigo e também de acordo com a topografia do local. “ Quanto a fase do trigo, há lavouras em floração, onde os danos serão mais significativos, e lavouras ainda em desenvolvimento vegetativo, onde os danos possivelmente serão menores”, avalia.

Segundo Àlvaro, os danos causados por geada geralmente são irreversíveis, principalmente quando a cultura se encontra na fase de florescimento e formação de grãos. A proporção dos prejuízos deverá ficar claro na próxima semana. “Daqui pra frente, o ideal, em termos de condições climáticas, é seguir com boa luminosidade, temperaturas amenas e não ocorrer excesso de umidade”, observa.

Frio deve seguir no fim de semana

A sexta-feira (21) foi gelada em toda a região. Na maioria dos municípios, as temperaturas no amanhecer variaram entre 2 e -1 grau, com sensação térmica negativa.

De acordo com os institutos de meteorologia, o frio deve prosseguir no fim de semana. Neste sábado (22), os termômetros não devem passar de 12 graus e uma nova formação de geada deve ocorrer. No domingo m(23), a mínima será de 6 e a máxima de 18 graus.

A neve de agosto de 1965

Em 20 de agosto de 1965, o Rio Grande do Sul registrou a presença da neve.
Em Santo Ângelo, o fenômeno climático chamou a atenção da comunidade. Vários são os
registros do fato, como a foto ao lado, registrada pela família Galvani.

Santo-angelenses registraram que a neve chegou a alcançar cerca de 30 centímetros. Entre a admiração, as brincadeiras e a curiosidade, a neve também provocou preocupação,
especialmente com relação ao seu reflexo nas lavouras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here