Instalação da Camera irá gerar 100 empregos para São Luiz

0
89

Indústria já testa equipamentos para processamento de soja no município

Ainda em fases de testes, a instalação completa do planta produtora da Camera trará oferta de emprego para São Luiz Gonzaga. Reutilizando a estrutura, que estava há 10 anos parada, da antiga Cobrasol, a planta produtora da empresa santa-rosense terá capacidade de processamento de 900 toneladas de soja por dia, transformando as cerca de 15 mil sacas em óleo bruto e farelo.

“Nós começamos o testes já em fevereiro. Queremos saber como vai funcionar a estrutura já existente e executar as substituições necessárias, para que quando chegar o período de safra já esteja tudo certo”, afirma Junior de Almeida, gerente da empresa.

Junior também comentou a possibilidade de execução de um comércio de insumos. “É um projeto secundário, para o segundo semestre. Queremos trabalhar junto com os produtores, teremos venda de defensivos, sementes e fertilizantes”, comenta o gerente.

Para o prefeito em exercício de São Luiz Gonzaga, Mário Meira, que assinou o alvará de funcionamento da empresa na última quarta-feira (1°), esse é um grande investimento para o município. “Quando a Cobrasol funcionava, por cerca de 2 a 3 meses no ano, era a empresa líder no retorno de ICMS do município. A Camera terá essa estrutura em funcionamento o ano todo”, comemora.

Com a reativação da estrutura da antiga Cobrasol, a Camera criará cerca de 100 novos postos de trabalho, com possibilidades de expansão no futuro. “Se houver matéria prima, é possível que aconteça o investimento de mais 5 milhões de reais em maquinário para o processamento de canola e girassol, mas isso vai depender da produção agrícola são-luizense”, assinala Mário.