Intercambistas do Lions Club em Santo Ângelo falam de suas impressões sobre o município

0
84

Estrangeiros são oriundos de Israel, Hungria, Polônia, Itália e Áustria

Seis jovens estrangeiros de cinco países estão em Santo Ângelo desde 6 de julho, residindo temporariamente em casas de família e fazendo um intercâmbio cultural. Todos eles são integrantes do Lions Club, que no Rio Grande do Sul recebeu 37 jovens e enviou outros 20 para diversos países.

Em visita ao Jornal das Missões nesta semana, eles falaram sobre as impressões que tiveram sobre Santo Ângelo. A assessora do Programa de Intercâmbio Juvenil do Lions Internacional, Vera Lúcia Frantz, destaca que ao todo são duas semanas em casas de famílias santo-angelenses e uma semana participando de um acampamento em Serafina Corrêa, que encerrará em 28 de julho. O objetivo é promover convivência familiar e cultural.

“Eles vêm conhecer nossos costumes e cultura, assim como os nossos jovens foram conhecer a cultura deles”, destaca Vera. Todos os seis jovens representam um clube de Lions que os indicou em seu país. O intercâmbio foi possível pela parceria de longa data entre o Brasil e a nação de origem dos jovens.

O ponto alto do intercâmbio será o acampamento em Serafina Corrêa. O primeiro dos acampamentos de intercâmbio foi sediado por Santo Ângelo, porém ocorreu no Parque das Fontes (Entre-Ijuís), em 2010. No ano seguinte, Santa Maria sediou o encontro. Em 2012, o município do centro do Estado novamente recebeu os jovens, junto com Canela. E neste ano, Serafina Corrêa sediará o acampamento, em um hotel. “A ideia é criar e fomentar um espírito de compreensão e paz entre os povos da terra”, acrescenta Vera Frantz.

O grupo esteve acompanhado do integrante do Leo Clube, Daniel Braga, que em 2012 participou de intercâmbio e foi para a Finlândia, e também é um dos coordenadores do acampamento; da integrante do Leo Clube, Carolina Kaiser Schnitzler; e da psicóloga Bruna Caraffa, que recebeu em sua casa a italiana Maria Teresa.

Receptividade dos santo-angelenses foi destacada pelo grupo

“Fiquei bastante impressionado com a cidade. Aqui o pessoal diz que é pequeno, mas venho de uma cidade de 2.500 habitantes. As pessoas de Santo Ângelo são muito amáveis e receptivas. Mesmo sendo grande, aqui todo mundo conhece todo mundo”, diz Luca Costamagna, italiano de 20 anos, que estuda Administração.

“É um lugar bem diferente, muito frio, porque as casas não têm aquecimento. Também achei estranho que pouquíssimas pessoas falam inglês”, declarou o polonês Maciek Ignazack, 18 anos, que irá agora para a universidade, porém ainda não sabe que curso fará.

“As pessoas são muito amáveis, gostam que eu experimente tudo de comida, principalmente o chimarrão”, disse a italiana Maria Teresa Mormone, de 19 anos, que estuda Línguas.

“Realmente gostei muito da comida daqui. Também vi que as pessoas perguntam e são muito interessadas pelos nossos países”, disse a austríaca Kathi Bucsits, de 18 anos, que está terminando o ensino médio.

“Quando falo que sou de Israel, todos me perguntam ‘está tudo bem?’. Achei diferente que aqui, mesmo não se conhecendo, as pessoas já dão beijo no rosto e estão se tocando”, destacou a israelense Abigail Sivan, de 17 anos “e meio”, que está finalizando o ensino médio e depois irá para o Exército.

“Estive em duas escolas, e o que me impressionou foi o comportamento dos alunos. Eles são muito hiperativos e agitados. Na Holanda (onde mora, porém veio pela Hungria) as escolas são todas rígidas”, salientou a mais jovem do grupo, a húngara Margaret Sun, de 15 anos, que cursa o ensino médio.