Jujuba conta histórias

0
231
Jujuba é uma personagem criada pela escritora e contadora de histórias Jussara Graffunder. Todos os dias, em pelo menos dois horários (durante o período de isolamento social) ela está ao vivo no Facebook para compartilhar histórias com as pessoas . Fotos: Arquivo pessoal

P raticadas na educação e na formação de crianças, a contação de histórias pode ser utilizada para ajudá-las a entender o mundo à sua volta. Elas transmitem valores morais, estimulam suas emoções, além de desenvolver nelas o gosto que as atrairão para a leitura quando mais velhos.

Pois foi com essa intenção que a escritora e contadora de histórias Jussara Graffunder decidiu fazer transmissões ao vivo pelo Facebook. “Nunca havia feito uma live de contação de histórias. Então, montei um cantinho todo especial dentro da minha casa, para ambientar o momento das contações, escolhi algumas histórias com carinho, comecei organizar o material que eu tinha em casa, planejar as performances para cada e, de forma bem amadora, mas com muito afeto, comecei a gravar as lives”, conta.

Jussara começou a contar as histórias ao vivo no dia 20 de março (Dia Internacional dos contadores de histórias), como ela explica, “a ideia é amenizar todo o contexto que estamos vivendo”, em relação ao isolamento social provocado pela covid-19. “É como uma válvula de escape. Faço algo que gosto, participo de uma corrente do bem, levando histórias pra dentro das casas e distraindo as crianças e adultos que me assistem. Faz bem para mim e faz bem para todos que assistem.”

LIVES
As lives são anunciadas pelo Facebook e Instagram de Jussara, dessa forma ela “viraliza histórias”. “Ocupo meus dias todinhos pesquisando histórias, planejando, separando material e fazendo as lives duas vezes ao dia”. As transmissões são à tarde e à noite, geralmente às 15h30 e às 20h.

“Diante de toda essa situação que nos causa pânico, o momento das histórias com ‘Jujuba conta histórias’ tem sido aceito e esperado cada segundo. As pessoas aguardam ansiosas com as crianças para chamar a ‘históóóóriaaaa’”, conta Jussara.

De forma lúdica, as histórias que Jussara conta são chamadas de dentro do chapéu mágico (veja fotos ao lado). “Aí as crianças participam assistindo, interagem, mandam recadinhos. As professoras e diretoras das escolas municipais de Santo Ângelo, de outros municípios e até de outros estados compartilham no ‘Face’ da escola e convidam os pais e crianças para acompanharem e muitas pessoas de todos os lugares também compartilham para viralizar histórias”, diz. “Está sendo uma experiência maravilhosa”, completa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here