Justiça notifica ocupantes de residências invadidas no Residencial Pilau II

0
124

Caso famílias invasoras não se retirem do local, justiça deve estipular prazo para a saída Durante toda a quarta-feira (30), a Polícia Federal, acompanhada de um Oficial de Justiça, realizou notificação judicial às famílias que invadiram casas do Residencial Pilau II, no Bairro Faldino Siede, em Santo Ângelo. As chaves seriam entregues ontem para 136 famílias, mas o ato não foi realizado em função de pessoas que se apropriaram dos imoveis de forma invasiva. 
Os invasores foram comunicados mediante a ofício de que não podem permanecer no local e devem se retirar. A notificação não determina prazo para a saída das famílias que se apropriaram das residências, mas abre precedente para uma ação de reintegração de posse e, posteriormente, no caso de não se retirarem, ordem de despejo. 
De um lado estão as famílias que foram contempladas mediante a processo de seleção e aguardam para poder se mudar para suas residências. No entanto, na contramão, estão as famílias invasoras que alegam que não tem condições de pagar aluguel e acabaram invadindo as casas do residencial. 

SORTEIO
O sorteio das famílias contempladas aconteceu na quarta-feira da semana passada, dia 23 de março, e as chaves seriam entregues ontem aos ganhadores. No entanto, na noite de segunda-feira (28), cerca de 100 casas foram invadidas por famílias que não foram contempladas. As novas residências são integrantes do Projeto Habitacional Minha Casa Minha Vida, do governo federal.
“Fiquei sabendo que minha casa foi invadida e vim aqui ver”, conta Sandra da Silva, que caminhava pelo local com um bebê de colo e seu marido. Já uma invasora que preferiu não se identificar, afirmou que não tinha onde morar: “estamos numa situação muito difícil, estava morando de favor e acabei vindo para cá”, explica. 

O EMPREENDIMENTO
Os apartamentos do Residencial Pilau II são destinadas a famílias com renda bruta de até R$ 1,6 mil. Cada família pagará parcelas mensais fixas de 5% da remuneração comprovada. O valor será pago em 120 meses (dez anos). A parcela mínima é de R$ 25 e a máxima R$ 80.
O empreendimento imobiliário conta com 136 moradias, distribuídos em residências individuais e geminadas. As unidades habitacionais têm 42 metros quadrados e são compostas por dois dormitórios, sanitário e sala e cozinha conjugadas.