Lar do Menino desenvolve projeto com alimentos sustentáveis

0
102

Oficinas foram seguidas de elaboração de livro de receitas, que deve ser lançado em outubro

A Associação Santo-angelense Lar do Menino, em parceria com a alimentarista Marlene Biermann da Luz está desenvolvendo o projeto “A revolução dos sabores divinos e os chefes do futuro”, que objetiva o reaproveitamento de alimentos e o uso de cascas, folhas e sementes. Voltado aos adolescentes acolhidos pelo lar, por familiares e funcionários da instituição, o projeto iniciou no mês de abril, e tem seu encerramento previsto para outubro, quando será finalizado com uma confraternização e o lançamento de um livro com todas as receitas que foram preparadas durante as oficinas. As aulas acontecem todas as terças-feiras, das 20h às 22h, no Lar do Menino, sempre seguidas de degustação.
A presidente do Lar do Menino, Rosa Cecília de Oliveira Marcondes, conta que a ideia do projeto surgiu da preocupação da entidade em proporcionar atividades que envolvessem os acolhidos durante o período inverso ao da escola. “Queríamos algo que não fosse somente lúdico, mas com cunho pedagógico, focando a vida após desacolhimento. E também elaboramos esse projeto com a intenção de proporcionar vivências para que, no futuro, isso possa abrir portas para uma possível inclusão no mercado de trabalho”, destaca.

ALIMENTAÇÃO SUSTENTÁVEL
A escolhida para ajudar no desenvolvimento da iniciativa foi a alimentarista, técnica em alimentação sustentável, Marlene Biermann da Luz, que, voluntariemente, se propôs a mostrar que alimentos sustentáveis podem garantir facilidades na cozinha, alimentação saudável e nutritiva, além de ser econômica e de preservar o meio ambiente. “Fui convidada pela assistente social Rozeli, e o projeto foi muito bem aceito pelos acolhidos. Ensinei o básico para eles, como a diferença de produtos integrais dos brancos, como utilizar sementes, cascas, farelos de trigo, entre outros produtos que costumam ser ignorados pelas pessoas. Destacamos a importância de consumir alimentos naturais, fibras, e coisas que podem deixar, inclusive, as refeições mais econômicas”, explica a alimentarista.
Durante as oficinas, foram praticados o manuseio dos alimentos e toda a sua preparação. “Eles aprenderam desde noções de higiene, de economia doméstica, até o reaproveitamento dos alimentos, que foi o principal foco do projeto. Dentre os alimentos estiveram pitanga, chuchu, cenoura, beterraba, laranja, mandioca, limão, canela, e também muito material que, no cotidiano, acaba sendo colocado fora por falta de informação”, acrescenta a Rosa.

PRÓXIMO PASSO
A presidente conta que o projeto está agora na fase de elaboração do livro onde estarão contidas as receitas desenvolvidas no decorrer do projeto. “A finalização deste material está prevista para outubro, o mês da criança, e para o lançamento estamos buscando por parcerias para patrocínio no que tange a gastos com gráfica para impressão, levando em conta que temos a intenção de presentear os familiares dos participantes do projeto”.
Além de Marlene e Rosa Marcondes, o projeto também contou com a ajuda da assistente social Tereza Rozeli Flores Reis, da psicóloga Vanessa de Lima Amaral dos Reis e da pedagoga Pâmela Tozin, além de jovens do Lar do Menino com idade apropriada. “Para mim é um prazer ensinar, principalmente quem tem dificuldade econômica. Meu compromisso é passar adiante o que eu sei, é assim que me sinto realizada”, completa a voluntária Marlene.

CONTINUIDADE
O Lar do Menino pretende dar continuidade ao projeto “A revolução dos sabores divinos e os chefes do futuro”, com uma segunda etapa. “A ideia é enfatizar a preservação do meio ambiente, instalando a captação de recursos hídricos e o desenvolvimento de uma horta preparada pelos acolhidos aqui, já que temos espaço físico com possibilidade para essa prática. Além disso, estamos discutindo outros projetos, como de técnicas de pintura e em via de formatação com um terceiro, este ligado à artesanato, para o qual estamos em busca de voluntários interessados”, finaliza a presidente Rosa Marcondes.