Lideranças locais se mobilizam pela instalação de Hospital Público Regional em Santo Ângelo

0
100

Responsável pela implantação dos hospitais públicos regionais no RS estará hoje no município

Responsável pela instalação dos hospitais estará hoje na cidade

A ideia de que Santo Ângelo poderá vir a sediar um Hospital Público Regional está sendo disseminada pela comissão que representa o Idesp – Instituto de Desenvolvimento em Educação e Saúde Pública.

A intenção é que o projeto a ser implementado aproveite toda a estrutura ociosa do Hospital de Guarnição Militar, que atualmente está sendo utilizado apenas como posto médico militar.

O projeto começa a ganhar corpo e já se transformou em matéria que será apreciada na Câmara de Vereadores no mês de fevereiro, explicou o vereador Gilberto Corazza, que na semana passada recebeu a visita do coordenador administrativo do complexo regulador da Secretaria Estadual de Saúde, Gilson Martinez, para discutir sobre o tema.

Martinez foi secretário da saúde em Entre-Ijuís e hoje trabalha no órgão que regula as políticas estaduais de saúde. Para ele, o debate que se inicia em Santo Ângelo é extremamente importante, tendo em vista a mobilização que já ocorre em outros municípios da região, como Santa Rosa, São Luiz Gonzaga e São Borja, que buscam a federalização de suas casas de saúde.

ATENDIMENTO 100% PELO SUS

Corazza explicou que o que se quer não é fazer concorrência ou desmerecer o excelente trabalho que vem sendo realizado pelo Hospital Santo Ângelo – instituição filantrópica que tem uma história de 80 anos de serviços prestados à região. O objetivo, disse ele, é que o hospital regional ofereça atendimento exclusivamente público, 100% pelo SUS. É também uma forma de qualificar o Sistema Único de Saúde o qual será tema de conferência e oficina durante o Fórum Social Missões, que acontece de 29 a 31 de março. 

Diferenciais deixam município à frente na busca por unidade do hospital

Outro diferencial competitivo é a instalação do Ifet (Instituto Federal Farroupilha) em Santo Ângelo que terá a área da saúde como prioritária para 2013, com previsão inicial de, pelo menos, dois cursos nessa linha. “Aliás – salientou Gilberto Corazza – é um dos únicos no país que tem como eixo prioritário a saúde pública”, comenta. 

Os cursos a serem instalados pelo Ifet, complementou o vereador, “vão necessitar de instalações, equipamentos e laboratórios para estágios e aulas práticas e o Hospital Militar, transformado em Hospital Público Regional, terá a estrutura ideal para atender essas necessidades.” Além disso, lembrou o vereador, a região também está mobilizada para a instalação de uma extensão da UFFS (que tem campus em Cerro Largo) e está pleiteando um curso de Medicina para Santo Ângelo. 

Segundo Gilson Martinez, há um grupo comprometido permanentemente com o debate sobre saúde pública, mas as discussões em torno do Hospital Regional precisam ser ampliadas com a participação de profissionais da área e manifestação da própria comunidade regional, que será a mais beneficiada com o projeto.

Martinez explicou ainda que nas décadas de 60 e 70, a tendência mundial era a implantação de pequenos hospitais, que atendiam suas comunidades locais. Com a mudança do perfil epidemiológico mundial, os hospitais de pequeno porte passam a cuidar de atendimentos básicos, atenção primária à saúde da população, enquanto os municípios pólos de cada região ficam com a tarefa de instalar e manter as referências regionais de alta complexidade. A região das Missões, finalizou, tem carência em atendimento de cardiologia e oncologia, especializações que poderiam ser abrangidas pelo Hospital Público Regional.

Responsável pela instalação dos hospitais estará hoje na cidade

Em continuidade às tratativas sobre o tema, no dia 26 de janeiro, Corazza e Gilson Martinez mantiveram audiência com Gilberto Barichello, diretor administrativo e financeiro do Grupo Hospitalar Conceição, de Porto Alegre, responsável pelo Governo Federal na implantação dos quatro hospitais públicos regionais no Rio Grande do Sul.

Como encaminhamento da audiência, ficou agendada a vinda de Barichello para Santo Ângelo, neste sábado (4), oportunidade que manterá reunião de trabalho com o grupo de lideranças ligadas e comprometidas com a saúde pública, bem como, com o prefeito Eduardo Loureiro, para tratar da questão do Hospital Público Regional. Da mesma forma, está agendada uma visita técnica ao Hospital de Guarnição Militar de Santo Ângelo.

O próximo passo será uma audiência pública na Câmara de Vereadores, onde o tema será discutido com vários segmentos da comunidade. Neste sentido, Corazza adianta que já protocolou matéria com esta finalidade, que deverá ser apreciada na sessão de segunda-feira (6).

ABRANGÊNCIA

Na tese defendida pelo vereador Gilberto Corazza, o Hospital Público Regional de Santo Ângelo teria o mesmo formato de Palmeiras das Missões e Frederico Westphalen, que envolve em torno de 72 municípios. Naquela região já está acordado que haverá um único Hospital Regional, com sede em Palmeira das Missões e uma unidade em Frederico Westphalen. Seguindo-se esse exemplo, nas Missões/Noroeste, seria instalada uma única instituição com unidades em Santo Ângelo e São Luiz Gonzaga.