Loteamento: Venda de terreno do Bairro São Carlos gera polêmica

0
117

Recursos serão utilizados para implantação de distrito industrial e construção de prédio público

Na última quarta-feira (4), durante sessão da Câmara de Vereadores, foi aprovado o Projeto de Lei 59, que autoriza a alienação de terrenos públicos, cujos valores deverão ser revertidos ao Fundo Municipal para Implantação de Distritos Industriais do Município, e Fundo Especial do Poder Legislativo para a construção de prédio para a nova sede da Câmara de Vereadores.

O município está, agora, autorizado para vender um total de nove imóveis localizados no bairro Jardim das Palmeiras, local conhecido como campo do bairro São Carlos. De acordo com o Projeto de Lei registra-se “a necessidade e a urgência da Implantação de Distritos Industriais do Município, uma vez que há necessidade de instalação de novas empresas, as quais trarão oportunidades de emprego, além da ampliação industrial do Município”.

NOVA SEDE DA CÂMARA
Com a possibilidade de alienação dos terrenos, o Projeto de Lei exalta também que “a Casa Legislativa já não comporta a demanda do serviço público. Além da precariedade do prédio, que necessita reparos e adequação a fim de que possa atender as necessidades legislativas. Desta forma, com a alienação dos imóveis, os valores arrecadados reverterão de imediato para o Fundo, sendo que dez por cento será destinado ao Fundo Especial da Câmara de Vereadores”, cita o texto.

IMPASSE ENTRE MORADORES
Conforme o Secretário Geral Michael Gindri Bueno, havia também uma solicitação por parte dos moradores do Jardim das Palmeiras para que houvesse uma retirada do campo localizado no local dos terrenos. “Na verdade aquilo ali havia deixado de ser uma área de lazer, os moradores já estavam reclamando da invasão e da drogadição existente ali. A partir de agora, além dos ganhos expostos, a comunidade irá ganhar com um verdadeiro local que será de lazer público”, explica.

A ideia, conforme o Secretário, é de que sejam construidas duas novas áreas de lazer. “Uma será 150m próxima dos terrenos, onde há um campo abandonado. A outra é entre o Jardim das Palmeiras e o Jardim Saba, esta ainda uma possibilidade”, acrescenta.

Há cerca de um mês, moradores do bairro São Carlos, próximo ao bairro Jardim das Palmeiras, reivindicaram pela defesa da área do campo de futebol. Além de ocupação, eles realizaram mateada e plantio de árvores no local. Conforme os moradores, a manifestação foi pela possibilidade de transformação do espaço em loteamento, quando o campo de futebol seria a principal área de convivência do bairro e proximidades. O Secretário Geral garante que a decisão foi tomada independente da opinião destes moradores, já que “os terrenos ficam no bairro Jardim das Palmeiras e não no bairro São Carlos”, destaca.

Já os moradores do bairro São Carlos garantem que o Poder Público está cometendo um grande equívoco e que a comunidade pagará por interesses do Executivo. “Temos uma área de lazer há 100 anos, era o ponto de encontro do bairro e proximidades, a escola  Liberato Salzano Vieira da Cunha realizava atividades no local duas vezes por semana, então essa é a maior sacanagem que já fizeram. As árvores ali foram plantadas pelos próximos moradores e, do nada, eles começam a retirar. A prefeitura se apropriou do local de uma hora para outra”, revolta-se o vice-presidente do bairro, Paulo Roberto Kruber.

PEDIDO POR CANCELAMENTO
De acordo com Paulo, já na semana passada os moradores entraram com um pedido de cancelamento da autorização junto à promotoria. “Este terreno não pode ser loteado, não deixaremos que isso aconteça. A venda destes terrenos não resolverá a situação do município, mas poderá colocar o fim na história da nossa comunidade”, completa.

O terreno mede 58 metros de comprimento na Rua Roberto Frey e 79,20 na Avenida Venâncio Aires. Na Avenida Alfredo Leopoldo Fett, o terreno mede 52,50 metros de largura e 67,50 na Rua São José.