Luciano Nascimento se defende de acusações e diz não ter envolvimento com crimes na Prefeitura de São Luiz Gonzaga

0
87

Ele declarou ter recebido um cheque de R$ 24 mil, de um empréstimo, mas que não sabia da procedência

O empresário Luciano Nascimento, de Santo Ângelo, um dos cinco denunciados pelo Ministério Público Estadual (MP-RS) por formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Prefeitura de São Luiz Gonzaga, se defendeu das acusações na tarde de hoje (24) e negou envolvimento. As cinco pessoas denunciadas ontem pelo Ministério Público são três ex-integrantes da Prefeitura, um empresário – da empresa Engesa, contratada pelo Município para a prestação de serviços de coleta, transporte e destino final do lixo – e Luciano.

Segundo o MP, os três ex-integrantes do Poder Executivo de São Luiz Gonzaga, após prévio acordo, recebiam, com regularidade, vantagens indevidas provenientes do responsável pela Engesa. Além disso, também de acordo com o Ministério Público, para que as vantagens indevidas pagas pelo empresário aos ex-integrantes do Poder Executivo não ingressassem diretamente nas suas contas-correntes ou no respectivo patrimônio, era usado um operador financeiro – que seria Luciano – que depositava os valores em suas contas bancárias pessoais ou de suas empresas para, posteriormente, repassá-los aos denunciados.

SURPRESA COM A DENÚNCIA
Luciano, candidato a vice-prefeito de Santo Ângelo pelo PSD nas eleições de 2012 na chapa de Fernando Diel (DEM), contou que ele e seu advogado, Itaguaci José Meirelles Corrêa, sabiam das investigações sobre ele, mas que foi pego de surpresa com a denúncia. “Eu sabia que estava sendo investigado, mas todos nós tínhamos certeza de que eu jamais seria denunciado. Não há prova nenhuma contra a minha pessoa”, afirmou, em entrevista coletiva no seu bar e restaurante Arena Grill, na Rua Marquês de Herval, no Centro de Santo Ângelo. “O que minha família me ensinou foi a ter honestidade, caráter, ser uma pessoa verdadeira, e isso foi o que eu sempre fiz na minha vida e vou continuar fazendo.”

Ele disse não ter relação ou contato com o ex-prefeito de São Luiz Gonzaga Vicente Diel (PSDB), outro que foi alvo da denúncia do MP. Dos denunciados, o empresário disse que a única pessoa com quem tem contato é Cláudio Cavalheiro, assessor jurídico da Prefeitura durante o mandato de Vicente. Luciano disse conhecer o ex-assessor jurídico há mais de 30 anos e que Cláudio lhe empresta dinheiro há aproximadamente dez. “Sou empresário, tenho vários negócios, sempre montei novos negócios, e sempre precisei buscar dinheiro com bancos, buscar dinheiro com amigos. Pago os juros, pago os empréstimos, e foi isso o que eu sempre fiz na minha vida. O Cláudio é uma das pessoas que me emprestam dinheiro, e é por essa relação que estão falando que eu tenho envolvimento com essas pessoas que estão sendo investigadas”, explicou.

CHEQUE NO VALOR DE R$ 24 MIL
O empresário declarou que, para ele, a ligação que poderia ter com as ações investigadas seria o fato de ter recebido de Cláudio, via depósito, há um ano e meio ou dois, um cheque no valor de R$ 24 mil. Ele disse não se lembrar se o cheque era ou não da Engesa.

“O que eles estão vinculando é que um desses valores que ele me emprestou seria um cheque dessa empresa e que eu teria sido um laranja, que eu teria depositado esse dinheiro na minha conta para depois repassar o dinheiro para eles e isso não ficar vinculado à conta dele. Meu envolvimento foi somente esse: foi depositado um cheque na minha conta. Eu jamais duvidei desse meu compadre, e não sei realmente se esse cheque é vindo de uma forma ilícita ou não. A única coisa foi que eu recebi esse cheque de uma pessoa da minha confiança. Eu não tenho bola de cristal para investigar um cheque que me deram. Eu não tinha desconfiança nenhuma desse cheque e depositei na minha conta”, disse. “Nós vamos nos encontrar aqui mais uma vez e fazer uma coletiva sobre a minha inocência”, finalizou, se dirigindo aos repórteres.