Ministério Público vai entregar hoje denúncia à Justiça sobre o caso Bernardo Boldrini

0
97

Nesta quinta-feira (15), o Ministério Público entrega à Justiça denúncia sobre o caso Bernardo Boldrini. No auditório da Universidade Regional do Noroeste do RS (Unijuí) será realizada uma entrevista coletiva às 14 horas, em Três Passos. A promotora de Justiça, Dinamárcia Maciel de Oliveira, responsável pela análise do inquérito, recebeu a visita da equipe investigativa que chegou na terça-feira ao Judiciário. Dinamárcia poderá, ainda, caso seja necessário, solicitar mais investigações ou ter uma conclusão diferente do que teve a delegada responsável pelo inquérito, Caroline Machado.

INDICIADOS
A polícia indiciou Leandro Boldrini, pai do menino, Graciele Ugulini, madrasta, e Edelvânia Wirganovicz (amiga de Graciele) pela morte de Bernardo, de 11 anos, enterrado numa cova em Frederico Westphalen, a 110 km de Três Passos, local onde vivia o menino. Caso o juiz responsável pelo caso concordar com a conclusão do Ministério Público os denunciados passarão a ser réus. Posteriormente, o magistrado deverá definir se eles vão ou não a júri popular, por se tratar de crime contra a vida.

PRISÃO
O juiz Marcos Luís Agostini, da Comarca de Três Passos, decretou, na noite de terça-feira, a prisão preventiva de Leandro Boldrini, pai do menino, da mulher dele, Graciele Ugulini, e da assistente social Edelvânia Wirganovicz, amiga do casal.

INDICIAMENTO
Na terça-feira (13), em entrevista coletiva, a delegada responsável pelo caso, Caroline Bamberg Machado, apresentou inquérito com mais de 2 mil páginas. Nele são apresentadas provas de que Leandro Boldrini teria sido mentor do crime de homicídio e ocultação de cadáver com Graciele Ugulini. A delegada disse que ele auxiliou na compra do remédio Midazolam ao fornecer a receita. No inquérito também são apresentados 100 depoimentos de pessoas que mostram a desarmonia familiar e o descado do pai e da madrasta com Bernardo.