Ministro recebe documento com detalhes da obra no aeroporto

0
116

Prazo de entrega é dezembro deste ano, mas atraso preocupa

A mobilização política para agilizar a obra no Aeroporto de Santo Ângelo ganhou um aliado de peso. Na última terça-feira, o secretário nacional de Aviação Civil, ministro Eliseu Padilha, recebeu informações do processo, detalhados em documento entregue pelos vereadores Pedro Waszkiewicz, André Marques e Vinicius Makvitz, juntamente com os deputados estaduais Eduardo Loureiro e Gabriel Souza.
O encontro ocorreu na Assembleia Legislativa, após a solenidade em que o ministro recebeu a distinção do Mérito Farroupilha. Padilha foi avisado da situação em que se encontra a obra e da decisão do governo do Estado em notificar a empresa para que amplie o ritmo dos trabalhos de melhorias na pista, cercamento da área e sinalização. “Vou me empenhar pessoalmente neste caso, pois é um aeroporto que integra o Programa Nacional de Aviação Civil Regional”, disse Eliseu Padilha.
O prazo de entrega é dezembro de deste ano, mas o estágio atual em que se encontram os serviços é preocupante, ainda que a conclusão dentro deste prazo seja prioridade no acordo de resultados firmado pela Secretaria Estadual de Transportes e Mobilidade. A reforma, que está sendo financiada com recursos do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (Profaa) por meio de convênio com o governo do Estado, atende exigência inicial da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para que o aeroporto volte a operar voos comerciais.
Conforme os parlamentares santo-angelenses, todas as intervenções previstas no projeto já deveriam ter sido concluídas em outubro do ano passado. Desde a primeira ​suspensão​ dos serviços, os vereadores estiveram empenhados na busca por soluções. Inicialmente, o empecilho estava ligado ao empenho dos investimentos, depois, constatou-se que a empreiteira não possuía condições financeiras para dar continuidade à obra.
“Chegamos ao prazo limite. Se uma solução não for tomada e as obras não forem reiniciadas mais uma vez, muito provavelmente nosso aeroporto ficará inoperante por mais um bom tempo, precisamos de uma posição mais forte do governo, nosso aeroporto possui uma importância estratégica para o desenvolvimento local e regional. A sua não operacionalização dificulta e até inviabiliza alguns investimentos na região ”, alertou o presidente Pedrão.