‘Não há mais espaço na política para pessoas que não têm comprometimento com o dinheiro público’

0
105

Na última reportagem da série especial do JM, Vereador Vinícius Damião Makvitz avalia sua reeleição

 Com 1.393 votos, Vinícius Damião Makvitz (PMDB) foi o quinto candidato a vereador mais votado em Santo Ângelo e atribui a sua reeleição ao trabalho desempenhado nos últimos quatro anos, com a proposição de 38 projetos. “Claro que não é só o vereador Vinícius, têm pessoas que estão por trás que atuam junto comigo e que fizeram desse mandato um período de mais atuação dentro do poder legislativo. Acho que grande parte da minha reeleição se deve ao respaldo da comunidade, por este trabalho feito”, ressalta. Makvitz é o último entrevistado da série especial do JM com os cinco candidatos mais votados para o cargo de vereador em Santo Ângelo. 

O vereador avalia que a votação foi expressiva e ressalta uma nova postura do eleitor, “as pessoas estão avaliando mais e buscando o que o vereador está fazendo no seu mandato, até porque eles são os nossos ‘chefes’, pois o eleitor hoje nos dá a oportunidade de estar lá por quatro anos e neste período temos que dar este retorno”. 
Quanto a renovação na Câmara de Vereadores de Santo Ângelo, com a eleição de vereadores mais jovens e apenas cinco reeleições, avalia positivamente, “isso é muito bom, pois a política de Santo Ângelo se renova. Acho que essa renovação é decorrente de um eleitor que está sendo mais criterioso na sua avaliação. Não se têm mais aquele voto contínuo, na mesma pessoa, como víamos antigamente com muitas reeleições. Nessa eleição vimos que está diminuindo”, ressalta, apontando que a democracia foi implantada no Brasil com o objetivo voltado para a alternância do poder, tanto dos partidos políticos, como também das pessoas, “são ideias colocadas em prática e projetos que são desempenhados. E no futuro, ao natural, devem vir outros para também melhorar, qualificar e realizar novas ações”, completa. 
 
Desafios
Para os próximos quatro anos, Vinícius Damião Makvitz destaca que uma das áreas que irá priorizar será a produção local, através da valorização do microempreendedor. “Acho que temos que ter um olhar diferente para essas empresas, as chamadas popularmente de ‘fundo de quintal’, que geram quatro ou cinco emprego e ter, talvez, não só um parque industrial para grandes empresas, mas dar uma atenção especial ao microempreendedor, para que tenha um espaço adequado para no futuro aumentar seu número de funcionários. Tudo isso, dentro de um parque industrial para micro e pequena empresa. Se valorizamos as nossas empresas, tenho a convicção que no futuro teremos elas fortalecidas e fomentando mais negócios, impulsionando uma cidade para o futuro e, ao natural, mais indústrias e empresas de grandes centros virão para Santo Ângelo”. 

Situação local e nacional
O vereador acredita que as dificuldades atuais em níveis nacionais e locais são decorrentes de uma crise política e sistêmica. “Acho que estas operações em nível nacional, de combate à corrupção, irão nos trazer um município melhor, um Estado melhor e um Brasil melhor, pois não há mais espaço na política para pessoas que não tenham comprometimento com o dinheiro público. Transformações estão começando a ocorrer através das prisões de quem tem uma conduta de desvio de dinheiro público”, afirma. Para Vinícius, é preciso pensar mais na população e na sociedade, “tudo deve estar relacionado à nossa sociedade. Então, tomara que tenhamos políticos mais comprometidos e que cada vez se tenha mais renovações. As renovações devem estar envolvidas no sistema para que se tenham novas ideias e que possamos conseguir oxigenar a nossa política, tanto local, quanto estadual e federal”.  
Vinícius foi o quarto vereador mais votado na eleição passada e ressalta que o mais gratificante é ter o respaldo da comunidade pelo trabalho que realizou, “independentemente de derrotas ou vitórias, acho que o aprendizado que eu tive é o que me satisfaz como pessoa. Como vereador, é muito gratificante ver as transformações que os projetos ocasionaram para a vida das pessoas. Quando proporciona transformação para uma pessoa, já considero um projeto bem executado, que depois pode atingir mais cidadãos ao longo do tempo”, finaliza.