Natal Solidário da Rádio Santo Ângelo: adote uma cartinha você também

0
102

Adoção pode acontecer até o dia 18, na recepção da Super

Neste Natal, mais do que dar e receber presentes em família, a proposta é doar àqueles que precisam. Foi partindo do pressuposto de ajudar o próximo que a Super Rádio Santo Ângelo criou o Natal Solidário. Como tradicionalmente ocorre em dezembro, a recepção da Rádio recebeu inúmeras cartinhas, que agora estão dispostas junto ao pinheirinho da Rádio à espera de corações solidários para adotá-las.

O locutor dos programas Primeira Hora e Linha Aberta, da Rádio Santo Ângelo, Jota Miguel, salienta a importância do engajamento em causas como essa. “Essa proposta surgiu em 2002, como uma ideia da direção, que era presidida pelo Eduardo Loureiro, quando sorteamos prêmios. De lá para cá, o projeto veio acontecendo de forma contínua”, ressalta.

Ele comenta ainda que a ação mobiliza toda a equipe da Super, desde a redação, locutores e recepção. “Existe uma grande importância com o trabalho das meninas da recepção da rádio, pois ali é feita a triagem dessas cartas e tudo acontece lá na frente antes de chegar até nós”, conta.

PRIMEIRA VEZ COM ADOÇÃO
Jota Miguel relata que neste ano é a primeira edição do Natal Solidário da Rádio Santo Ângelo em que as cartas são oferecidas à comunidade para que as pessoas leiam e escolham qual cartinha será adotada.

“Antigamente nós abríamos o estúdio 3 e oferecíamos lanche para as crianças, sorteando as cartas e dando o brinquedo que havia sido arrecadado. Neste ano, nós decidimos por fazer a adoção de cartas para que as pessoas tenham o contato com os pedidos das crianças”, diz.

RECORDE DE CARTAS
A coordenadora do financeiro da Rádio Santo Ângelo, Denise Thiel, explica que foram recebidas aproximadamente 570 cartas, batendo o recorde dos anos anteriores. “Nós recebemos as cartinhas até o dia 5 de dezembro. Agora não estamos mais recebendo, pois se aceitarmos mais não vamos conseguir atender a todo esse número”, comenta.

A iniciativa foi abraçada por toda a equipe, que está em uma força-tarefa para que todas as cartas possam ser adotadas e as crianças contempladas com alguns presentes, mesmo que esse não seja o específico que a criança esteja esperando.

ENTREGA DOS PRESENTES
No dia 23 de dezembro, no estúdio 3 da Rádio Santo Ângelo, das 10h às 12h, será feita a entrega dos presentes às crianças. Uma programação especial cheia de surpresas está sendo montada para receber todos os que enviaram uma cartinha e algumas das pessoas que as adotaram também.

O evento terá dois Papais Noel e uma Mamãe Noela, além de várias surpresas para as crianças, que serão divulgadas somente em data mais próxima da realização do evento.

ATITUDE SOLIDÁRIA
“Nós quase não temos meios de ajudar, pois temos uma vida muito corrida. É a quarta vez em que adotamos uma cartinha e o que nos motiva é o fato de no passado termos sido muito pobres. Nós viemos do interior e era muito difícil de conseguir alcançar um objetivo na vida, por isso nosso desejo em ajudar o próximo”, emociona-se o ouvinte Oldemar Santos da Silva, que adotou uma cartinha entre as tantas que ainda existem.

PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE
A equipe da Rádio Santo Ângelo está mobilizada para auxiliar nessa atitude solidária, no entanto, a importância da participação da comunidade em se engajar nessa iniciativa de ajudar o próximo neste Natal é ainda mais relevante. Até o dia 18, as pessoas podem comparecer à recepção da Rádio Santo Ângelo para retirar cartinhas ou então trazer presentes para meninos, meninas, cestinhas de doces, alimentos, para que se possa montar cestas básicas para as famílias das crianças que necessitam.

A adoção das cartinhas não precisa atender na íntegra ao que é pedido. A equipe ressalta que muitas vezes não há condições de dar a piscina, o tablet ou o celular que foi pedido na carta. “Criança pede tudo, às vezes por não ter a noção de preço, por achar que Papai Noel existe e vai trazer aquele presente tão esperado, mas a magia do Natal está em ganhar algum presente, não importa qual”, diz Jota.

Para os interessados em ajudar, seja um caderno, um brinquedo, dependendo da faixa etária, basta cuidar a idade da criança na cartinha. Qualquer brinquedo que a pessoa trouxer para ela com certeza a fará muito feliz.

PARCEIROS ATÉ O MOMENTO
A Deltasul, Quero-Quero, Comercial Zaffari, Supermercado Pag-Menos e Vonpar já se solidarizaram com a iniciativa e participaram do Natal Solidário doando prêmios para serem sorteados no dia da entrega dos presentes.

Outras empresas e mesmo pessoas da comunidade em geral santo-angelense que puderem e desejarem se engajar na causa podem entrar em contato com a recepção da Super. As doações podem ser de qualquer artigo, desde brinquedos, artigos domésticos, material escolar ou alimento: o importante é participar.

‘CARTAS CHEGAM NATURALMENTE’
A diretora da Super Rádio Santo Ângelo, Robriane Loureiro, destaca que o forte vínculo com a comunidade e as diversas ações sociais capitaneadas pela emissora para melhorar a qualidade de vida da população de sua área de abrangência são um dos grandes diferenciais da Rádio, que desde seus primórdios sempre esteve atenta e sensível às carências de seus ouvintes. E é justamente por ser identificada como uma emissora com forte caráter comunitário que a Super possui essa ligação estreita com sua legião de ouvintes.

“Os pequenos gestos individuais são capazes de mudar o mundo e de construir uma comunidade melhor para se viver. Levar informação séria aos ouvintes é nosso dever como comunicadores, mas contribuir para uma sociedade mais humana e mais igualitária é nossa responsabilidade como cidadãos”, afirma a diretora Robriane, que não se esquece de ressaltar o grau de envolvimento de todos os colaboradores da emissora, que estão tocados pelas cartas recebidas e, por isso, cada um dando sugestões, ajudando a viabilizar parcerias para atender a todas as cartinhas e fazer do dia da entrega um dia inesquecível para essas famílias. “Contar com uma equipe engajada e apaixonada pelo que faz é fundamental para o sucesso de qualquer ação, porque ninguém realiza nada sozinho.”

A diretora convida todos para dirigir-se até a portaria da emissora e adotar uma carta. “A maioria dos pedidos é simples e emociona pela necessidade: pares de chinelos para ir à escola, cestas básicas, mães de bebês que pedem fraldas, crianças que pedem sua primeira bola de futebol, e por aí vai. Fica difícil ler as cartas e não se comover.”