ONG Pé de Pano luta para salvar vida de cavalo abandonado no Bairro Pilau

0
178

Proprietário do cavalo dificulta acesso da ONG para ajudar no tratamento de doença

A ONG Pé de Pano – SOS Cavalo, que trabalha na luta pela proteção animal no município, recebeu mais uma denúncia de cavalo abandonado em via pública em Santo Ângelo.

Conforme a presidente da organização, Ana Carolina Morais, o animal perambulava há cerca de cinco dias pelas ruas do Bairro Pilau, onde foi encontrado com grandes machucados na pata por um morador local. “Recebemos uma ligação de uma pessoa residente do Bairro Pilau, já que o cavalo se encostava no muro da casa dessa pessoa toda noite para dormir. Nós fomos até la e percebemos que era uma situação grave, de necessidade cirúrgica e que, do contrário, poderia levar o animal a óbito”, explica.

Os proprietários do cavalo foram localizados pela ONG, que, em um primeiro momento demonstraram entender a gravidade da situação, mas depois levaram o cavalo para sua propriedade, onde garantiram já estar tomando as medidas necessárias. “Eles alegaram que um veterinário de uma agropecuária estava cuidando, mas ligamos para o local e o profissional negou que estivesse recebendo os cuidados. O animal ficou dias abandonado em via pública, emagreceu muito, precisa de um tratamento cirúrgico que não tem aqui na região e de custo elevado”, completa Ana Carolina.

Por isso, a solução que encontrada pela ONG foi a de ingressar com uma ação de busca e apreensão na justiça. “A família escondeu o cavalo após a denúncia porque enxergam o animal como um objeto que visa lucro. Para nós é uma vida, que sente frio e fome, acreditamos na causa e lutaremos por ela. Nosso alerta para a comunidade é para que, quando verem um animal abandonado nas ruas, entrem em contato com a Polícia Ambiental ou com a ONG Pé de Pano, para que possamos proteger esses animais, porque hoje há uma lei que nos permite a fazer isso”, explica a advogada da organização, Cleusa Cristina Aranzi Peixoto.

O machucado na pata do cavalo foi diagnosticado como um câncer derivado de uma possível picada de cobra. Ainda que a ONG tenha entrado com todas as medidas possíveis para poder tratá-lo, o processo ainda não saiu do papel, já que o proprietário condicionou de que o cavalo seja devolvido assim que curado. “Essa não é a política de trabalho da ONG Pé de Pano, pois não temos a garantia de que o cavalo não voltará a ser maltratado ao voltar para a propriedade. Será marcada uma audiência de conciliação e esperamos uma atitude do Departamento Municipal de Meio Ambiente (Demam), que é o órgão competente”, completa Cristina.

Para realizar denúncias pode-se acionar o Facebook: ONG Pé de Pano – SOS Cavalo, ou pelo telefone: 55 9661 4900.