Padre Rosalvo diz que viveu a experiência que ricos e pobres vivem na hora da dor e da doença

0
1025
Padre Rosalvo Frey, 60 anos. Foto: Arquivo/JM

“Bom dia. Hoje me sinto igual um nenê que saiu das fraldas e o meu sobrenome é Frey que significa livre. Tenho dormido bem nos últimos dias. Eu estou impressionado com o ‘vendaval’ de apoio e oração de todos em Santo Ângelo”. Foi assim que o paróco Rosalvo Frey, da Paróquia Anjo da Guarda atendeu a ligação do repórter Oda Kotowski na manhã desta sexta-feira (27), quando ainda estava internado no Hospital Regional Unimed Missões.

Há cerca de duas semanas, Rosalvo foi internado após sofrer um infarto e ser submetido a um procedimento de cateterismo com a implantação de um stent. Ele chegou a ser levado à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), e desde a segunda-feira (23) está em um quarto normal em recuperação e restrição de visitas. A previsão é de que ele receba alta hoje (28).

NÃO LEMBRA OS MOMENTOS PÓS INFARTO

O padre diz que não lembra dos momentos pós infarto e prefere não falar sobre o assunto. “Hoje eu só quero mandar um abraço especial a todos os amigos e as pessoas da Catedral e de outras igrejas e paróquias de outros municípios. No domingo (22), me tornei padrinho de uma filha de haitiana, que nasceu em Santo Ângelo, no Brasil. O batizado foi celebrado na Catedral Angelopolitana pelo bispo diocesano Dom Liro Vendelino Meurer, mesmo sem a minha presença”, comenta.

Rosalvo Frey agradeceu ao afirmar que está sendo muito bem cuidado no Hospital Unimed Missões pelas equipes de enfermagem e médicos através dos profissionais Mateus Bertoldo e Márcio Siqueira. “Assim que eu receber alta do hospital – a expectativa é que seja amanhã (hoje – dia 28), deverei ficar em repouso sem receber visitas. Sei que não demora muito para eu voltar para casa e chegará o momento em que abrirei a porta da paróquia para quem quiser me visitar e receber o meu abraço e agradecimento pelas orações”, fala.

OS DIAS NO HOSPITAL

O sacerdote relatou sobre como estão sendo os dias de internação. “Este período tem sido uma “experiência espiritual; a experiência daquilo que a humanidade também experimenta na hora da dor e da doença, tanto os pobres como os ricos. É a experiência do esvaziamento de Jesus na cruz, obediente até a morte. Eu só posso agradecer a Deus e a Jesus e a toda a oração do pessoal. Este tombo é uma lição de vida. Acho que fui duas vezes para a cruz e não morri. Eu soube que circularam mensagens na rede social de que eu estava morto e de que tinham me levado de avião para Porto Alegre – coisa que nunca viajei de avião durante esta vida, mas isso não me impressiona. Cada um é responsável pelo que publica”, comenta.

CÂNCER DE PRÓSTATA

Há 5 anos, Rosalvo conta que quase morreu após diagnóstico e tratamento de câncer de próstata. “A conclusão que tiro agora é de que eu me torne cada vez mais humano, compreensivo com as pessoas que sofrem, especialmente aos pobres. Vejo que a vida só tem sentido quando existe a nossa doação”, enfatiza.

Rosalvo deverá ficar em licença do trabalho e a Paróquia Anjo da Guarda receberá um novo padre para auxiliá-lo. “E espero que em no máximo dois meses eu volte a ser o Rosalvo de sempre”, espera.

MAIS AMOR E PAZ

Ao final da ligação, Rosalvo Frey deixou a seguinte mensagem. “Que todos nós saibamos caminhar na paz. No dia 1º de janeiro será o Dia Mundial da Paz. Na sociedade há tanto ódio, tanta raiva, tanta guerra, tanta violência, tanta concorrência. Chega de armas e vamos viver em paz, nos amar. A vida é de Deus e tudo pertence a Ele. O Papa Francisco falou que Jesus veio para amar a todos, inclusive os piores. O amor é para todos”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here