Paralisação: professores visitam hoje os pais de alunos

0
84

Professores da rede estadual de ensino estão em paralisação desde esta quarta-feira em toda a região. Até amanhã, várias atividades, promovidas pelo Cpers Sindicato, estarão sendo realizadas em todo o Rio Grande do Sul. A paralisação é em nível nacional.

A paralisação é em defesa da implementação do piso, de 10% do PIB para a educação pública já e, no Rio Grande do Sul, também contra alterações nos planos de carreira da categoria e pelos mesmos índices de reajustes para os funcionários de escola.

Conforme o Cpers, em Santo Ângelo, as 15 escolas estaduais estão paralisadas. “Este é o estado de greve decretado na última assembleia geral, para forçar o governo a pagar o piso nacional para os professores e funcionários de escola que é de R$ 1.451,00 para 40 horas semanais. Hoje, no RS, o piso é de R$ 395 para 20 horas. Não há nomeações de 40 horas; somente para aqueles que fizeram dois concursos públicos”, afirma Marlene Stochero, diretora do 9º Núcleo do Cpers.

Nesta quarta-feira foram realizadas plenárias, no Centro Municipal de Cultura, sobre os temas saúde do trabalhador em educação, alteração do ensino médio, dívida pública, previdência pública e decreto que regulamenta as promoções do magistério.

Nesta quinta-feira (15), acontece um pedágio explicativo na esquina da Avenida Brasil com a Rua Marechal Floriano. “Hoje é o dia de apresentar à comunidade as razões pelas quais a escola pública está parando”, diz Marlene.

No início da manhã e final da tarde, os professores farão visitas às famílias dos alunos e panfletagem nos espaços de circulação, próximos de escolas. Às 15h30min, haverá uma concentração na Praça do Brique.

Na sexta-feira, às 14h, acontece um ato público em frente à Secretaria Estadual de Educação em Porto Alegre e às 16h, um outro ato público será realizado com as demais categorias, na Praça da Matriz, na Capital.