Páscoa: memórias afetivas passadas de geração em geração

0
354
Marinei, Geane e Amanda durante a pintura das casquinhas de Páscoa. Foto: Arquivo pessoal/Geane Mumbach

Celebrar momentos em família, como a Páscoa, contribui para a criação memórias afetivas. Pintar casquinhas ou bolachas, fazer caça aos avos, seguir as pegadas deixadas pelo coelho, por exemplo, são tradições que fazem parte da vida de muitas pessoas nesta época. Passados de geração em geração, os rituais são uma forma de manter a família unida e transmitir aos filhos conhecimento sobre a data de um jeito mais lúdico.

“A Páscoa tem um significado especial para mim,
que é a ressurreição. Hoje, estamos mais
preocupados em comemorar a data do
que realmente sentir o que ela nos traz.
Quais sentimentos nos despertam.
E as crianças também precisam saber disso,
precisamos explicar a eles o que é cada
comemoração e porque ela é comemorada”

Para Geane Mumbach e Merinei Tschiedel pais da pequena Amanda, essas lembranças fazem parte das memórias mais agradáveis dessa época. “Lembro-me que eu e minhas irmãs ajudávamos nossa mãe a pintar as casquinhas com papel crepom, depois aprendemos na escola a fazer trancinha e colar em volta das casquinhas. Também ajudávamos a fazer bolachas e a pintar. Depois que aprendemos isso, nunca mais esquecemos e foram momentos que marcaram, pois toda a família se envolvia nos preparativos”, Lembra Geane.

No caso de Marinei, as memórias são semelhantes: “Lembro-me de ajudar minha mãe a fazer bolachas e pintar e enfeitar as mesmas. Pintar as casquinhas com meu irmão e a felicidade de depois poder comer o amendoim que tinha dentro e quebrar a casquinha na cabeça do outro”, conta.

Essas lembranças são repassadas, hoje, para a filha. Quando Amanda nasceu, eles optaram por uma criação com apego, que faz, justamente, o resgate de valores da família, dessa forma, a infância da menina seria marcada por momentos e não brincadeiras.

“Como para nós o que mais marcou foram momentos felizes da família reunida, gostaríamos que ela tivesse o mesmo sentimento. Então, junto com ela estamos nos preparando para a Páscoa, fazendo bolachas e pintando as casquinhas para o coelho encher de amendoim ou “cricri”, como sempre chamamos”, explica. Com isso, as memórias que se criam não são as de receber presentes, dos chocolates, mas de pequenas atitudes no dia a dia e dos valores criados nesses momentos de afeto.

Para Amanda, o momento de preparação para a Páscoa é “muito legal, gosto de pintar as casquinhas com a mamãe e o papai”, diz.

Para Geane e Marinei, tanto a Páscoa, quanto e Natal – que são as datas mais importantes no calendário hoje -, tem um símbolo que serve para nos lembrar do significado das comemorações destas datas.  “A Páscoa tem um significado especial para mim, que é a ressurreição. Hoje, estamos mais preocupados em comemorar a data do que realmente sentir o que ela nos traz. Quais sentimentos nos despertam. E as crianças também precisam saber disso, precisamos explicar a eles o que é cada comemoração e porque ela é comemorada. Acredito que com esta cultura antiga sendo resgatada a criança vai percebendo o que realmente importa nesta data comemorativa”, completa Geane.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here