PF recolheu 98 armas durante a campanha do desarmamento em 2011

0
93

Campanha vai continuar em 2012 com garantia na entrega e pagamento de indenização imediato

A Delegacia de Polícia Federal com sede em Santo Ângelo divulgou o resultado de 2011 da Campanha do Desarmamento. De maio até quinta-feira (29) haviam sido recolhidas 98 armas na área de abrangência da delegacia, dentre as quais, revólver de vários calibres, espingardas, carabinas e pistolas.

Segundo o delegado da PF, Mário Luis Oliveira dos Santos, também foi entregue um fuzil 762, considerado de valor histórico. Em todo o país, foram recolhidas 36,8 mil armas de fogo.

Santos informou que a campanha irá continuar em 2012, nos mesmos moldes, “garantindo o anonimato na entrega da arma e o pagamento de indenização imediata”, disse.

A partir deste ano, a PF disponibilizou outros pontos para a entrega de armas. Em Santo Ângelo, por exemplo, é possível entregar na sede do CRPO Missões e na Polícia Civil.

O valor da indenização paga varia de R$ 100 a R$ 300, dependendo do tipo da arma. No Brasil inteiro, o Ministério da Justiça pagou o equivalente a R$ 3,5 milhões em indenizações pelos armamentos.

Ao entregar a arma, o cidadão não precisa declarar a origem, e depois recebe a remuneração. As armas são encaminhadas ao Exército Brasileiro para destruição. Aquelas que forem comprovadas o seu valor histórico são preservadas em museus.

Qualquer pessoa que queira entregar uma arma de fogo deve se dirigir a uma delegacia da Polícia Federal (PF). Mas antes disso, é importante retirar uma guia de trânsito para o transporte da arma. Para conseguir a guia, basta entrar no site da PF (www.dpf.gov.br). Com ela, o transporte da arma de fogo pode ser feita de forma legal, mas é importante que a mesma esteja descarregada e embalada. Se alguma munição também for entregue, é importante que seja transportada separadamente da arma.

A Campanha Nacional do Desarmamento tem como objetivo mobilizar a sociedade brasileira para retirar de circulação o maior número de armas de fogo possível e contribuir para a redução da violência no País.