Por ordem judicial, Pedrão convoca eleição para a Mesa Diretora da Câmara

0
112

Presidente do Legislativo emitiu ofício na manhã de ontem, convocando os demais vereadores

Após decisão judicial da Juíza Taíse Velasques Lopes, o atual presidente da Câmara de Vereadores de Santo Ângelo, Pedro Waszkiewicz – Pedrão (SDD), emitiu ofício na manhã de ontem convocando os demais vereadores para sessão extraordinária que acontecerá no dia 1º de fevereiro. A sessão terá por finalidade eleger os membros da nova mesa diretora do parlamento.

De acordo com a convocação assinada pelo atual Chefe do Legislativo Municipal, a sessão terá início às 07h15min, no plenário Juarez Alves Lemos.

A medida foi resultado do pedido de liminar pelos também vereadores  Everaldo de Oliveira Batista (PDT) e Gilberto Corazza (PT), após Pedrão anunciar que permaneceria no cargo pelo período de um ano.  Pedrão foi eleito em 1º de julho de 2015, após renúncia do vereador Nader Awad (PDT), conforme acordo entre os vereadores. O presidente deveria permanecer no cargo até o fim de 2015, quando devia ter ocorrido nova eleição, mas decidiu continuar até a metade de 2016, contrariando o artigo 53 da Lei Orgânica Municipal.

Os vereadores Jacqueline Possebom (PDT) e Lauri Juliani (PDT) já haviam renunciado aos cargos de vice-presidente e de secretário respectivamente da mesa diretora da Câmara em Santo Ângelo por não aceitarem a decisão adotada pelo atual presidente do Poder Legislativo de Santo Ângelo.

No mês de janeiro, apesar do recesso, o atendimento ao público na Casa Legislativa seguirá sendo realizado normalmente, em turno único, das 7 horas às 13 horas, sem intervalos.

‘Não estudei muito, então procurei um advogado de minha confiança’
Na manhã de ontem, em sua primeira entrevista para a imprensa após a polêmica relacionada à sua permanência na presidência da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores,  Pedro Waszkiewicz – Pedrão (SDD), contou para o repórter Luiz Roque Kern, da Rádio Santo Ângelo, que ficou surpreso com a liminar que solicita uma nova eleição da Mesa Diretora.

O atual presidente da Câmara, que não encontrava-se na cidade quando tomou conhecimento do fato, defendeu-se, garantindo que seguiu o artigo 53 da Lei Orgânica Municipal. “Foi uma atitude política particular e houve um ingresso na Justiça por parte das lideranças do PT e do PDT por conta disso. Eu respeito a posição deles, embora tenha ficado surpreso, fiquei sabendo pela internet e, assim que pude, me desloquei de Santa Catarina para cá, pois estamos em recesso”.

Pedrão destaca que não tem muito conhecimento sobre as leis e que, por isso, seu advogado é quem está resolvendo o caso. “Não estudei muito, então procurei um advogado de minha confiança e não sei como ele está fazendo essa proteção”, relatou durante a entrevista.

A convocação para a sessão extraordinária, que ficou definida para o dia 1º de fevereiro, seria comunicada na tarde de ontem à Juíza de Direito Taíse Velasquez Lopes, que foi quem deferiu parcialmente o pedido de liminar no dia 31 de dezembro de 2015. “A data foi definida para fevereiro porque antes não tem como com os vereadores estando em recesso. Será uma sessão apenas com eleição, sem falas, discursos, bem específica para tomar posse e dar sequência ao nosso trabalho”, acrescentou.
Para Pedrão, pode existir um conflito na Lei Orgânica do município e por isso ele tenha tido um entendimento diferente dos demais vereadores. “Segundo me falaram, a Lei Orgânica é maior que o Regimento Interno e o artigo maior que o inciso. Então, pelo que sei, seria de um ano o período de presidência. Esse é o meu entendimento, mas se não é, a gente tem que respeitar. Acredito em um conflito na Lei, tanto que nem todos os vereadores entraram na Justiça”, completou.