Prédio da Agroindústria da Apmig será entregue neste domingo

0
107

Inauguração oficial da Agroindústria deve acontecer em janeiro, quando produção de frutas é maior

No próximo domingo (28) será feita a cerimônia de entrega do prédio da Agroindústria da Associação de Produtores de Melão da Ilha Grande (Apmig). A infraestrutura e os equipamentos vão potencializar a produção atual dos agricultores daquela região que investem na diversificação de culturas. A presidente da associação, Liria Maria Fonseca, destaca que esse é um momento histórico vivenciado pelos produtores, pois são 12 anos de trabalho.

A inauguração oficial, entretanto, só ocorrerá em janeiro, juntamente com a 11ª Festa do Melão. “Nessa época temos uma diversificação de frutas muito grande. Além disso, poderemos testar a produção dos nossos alimentos dentro da agroindústria e nos regularizar, estando preparados para lançar nossos produtos”, destaca, em entrevista ao programa Rádio Visão, da Rádio Santo Ângelo.

A HISTÓRIA
Em 5 de setembro de 2012 os produtores de Ilha Grande receberam a proposta por parte da Emater de trabalhar com a diversificação na produção de alimentos, tendo em vista que a região investia pesado na produção da soja, tendo muitas perdas com isso e pouca rotatividade.

Liria conta que tudo teve início com a produção do melão, mas que hoje a gama de produtos produzidos pelos agricultores daquela região ultrapassa 60 variedades. “Com a produção do melão, tivemos um novo fôlego para a agricultura familiar.

Conseguimos, a partir dele, aumentar nossa produção de outros produtos também. Mantivemos a soja e agregamos novas variedades”, ressalta, acrescentando que no ano passado a região teve uma das maiores produções de melão, recebendo distribuidores em busca do produto para venda.

A presidente destaca ainda que o desenvolvimento da região só foi possível graças à parceria com a Prefeitura, Emater, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e demais parceiros que estiveram presentes nos últimos 12 anos, dando todo o apoio necessário para fomentar o desenvolvimento da região.

RELATO DE SUCESSO
A presidente também é responsável por uma nova experiência. Em sua propriedade, a partir de um desafio da Emater, ela produziu cinco variedades de moranguinho com o objetivo de ver qual teria melhor desenvolvimento, levando em consideração as condições climáticas da região e outros termos de qualidade.

“A proposta foi apresentada aos produtores e eu me ofereci para testar. Foi um alto investimento, com cinco variedades diferentes e mais de mil mudas”, conta Liria. A única condição, segundo ela, era de que os resultados e a experiência fossem compartilhados com outros produtores do município e região que tivessem interesse na produção.

“E deu certo. Tivemos êxito com o desenvolvimento da fruta. Muitas pessoas já nos procuraram para pedir informações sobre a produção e sempre estamos abertos a questionamentos futuros. O que queremos de fato é que os produtores de nossa comunidade tenham êxito no desenvolvimento de novas culturas e consigam fomentar o crescimento de sua produção”, conclui.