Prefeitos voltam da Marcha em Brasília sem ajuda imediata

0
93

Frustração, ausência da presidente Dilma Rousseff e incertezas marcaram a 17ª edição do evento

O anúncio tão esperado pelos prefeitos e representantes das 5.568 prefeituras brasileiras que participaram da 17ª Marcha em Defesa do Municipalismo, no período de 12 a 15 de maio, em Brasília, ainda não aconteceu. O aumento de 2% no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que ajudaria a melhorar as finanças das prefeituras e que desde o ano passado é a principal reivindicação da pauta municipalista, mais uma vez não se concretizou. E nesta edição da Marcha a presidente Dilma Rousseff não compareceu ao encontro, fator que contribuiu, ainda mais, para o sentimento de frustração manifestado pelos participantes.

Os prefeitos, porém, não perderam totalmente a esperança de que em algum momento venha a ajuda federal. Após se reunir com a presidente Dilma Rousseff na quinta-feira, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, e mais cinco prefeitos receberam a garantia de que nesta terça-feira (20), haverá uma reunião das autoridades com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para discutirem um possível aumento nos repasses federais para os municípios. As lideranças entregaram para a presidente uma carta elaborada pela Confederação com as reivindicações municipalistas.

REALIDADE FINANCEIRA
O presidente da Associação dos Municípios das Missões (AMM), prefeito de São Luiz Gonzaga, Junaro Rambo Figueiredo, ao analisar a 17ª Marcha, disse que “a mobilização foi fundamental para, mais uma vez, mostrar aos congressistas e ministros a complicada realidade financeira dos municípios. Também foi muito importante informar a sociedade sobre as dificuldades que temos para realizar os investimentos, que tanto nos são cobrados. Esperávamos decisões mais imediatas por parte do governo federal, mas mesmo assim, continuaremos na expectativa de uma notícia positiva”, ressaltou o prefeito são-luizense.

ROYALTIES NO STF
A atenção dos prefeitos missioneiros se volta agora para o Supremo Tribunal Federal (STF), que no próximo dia 28 pode deliberar sobre a distribuição dos royalties do petróleo do pré-sal para os municípios. Conforme decisão do Supremo poderá ser formalizada uma nova fonte de recursos para os municípios, o que permitiria às prefeituras começarem a planejar novos investimentos. Nos intervalos dos eventos organizados pela CNM as lideranças municipais da AMM aproveitaram e fizeram uma verdadeira peregrinação nos ministérios e Congresso Nacional, em busca de recursos e apoio político às demandas regionais e locais. 

COMPROMISSO DOS PRESIDENCIÁVEIS

Prefeito reeleito de Giruá, Fabiam Thomas, que participa da Marcha desde 2009, considerou esta edição a maior e mais organizada de todas. Ele ressaltou a importância da participação dos pré-candidatos à Presidência da República. Participaram do encontro o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), que aproveitaram o encontro com os prefeitos para apresentar suas propostas e ouvir os pleitos dos chefes dos Executivos municipais.