Prejuízos com a enchente em Porto Xavier passam dos R$ 20 milhões, avaliam autoridades

0
81

Relatório com os prejuízos nas esferas pública e privada foi concluído no começo desta semana

A Defesa Civil Municipal de Porto Xavier, órgãos técnicos e Prefeitura concluíram na segunda-feira (7) o relatório dos prejuízos da cidade, nas esferas pública e privada, com a enchente do rio Uruguai, ocorrida no final do mês passado. Com a conclusão do relatório, que foi enviado aos governos estadual e federal, o objetivo é de que as medidas de suporte sejam adotadas com rapidez. Os prejuízos passam dos R$ 20 milhões.

Segundo o relatório técnico realizado pela Emater, Secretaria Municipal da Agricultura e Sindicato dos Trabalhadores Rurais, as perdas na agricultura totalizam R$ 1.437.100, abrangendo as culturas de milho, pastagens, gado de leite e corte, cana-de-açúcar, fruticultura e produtos de subsistência. Ainda na esfera privada, de acordo com relatório da Acisa, as perdas decorrentes da enchente na indústria local acumulam um prejuízo de R$ 2 milhões, e no comércio local, de R$ 4 milhões. Com o Porto Internacional sem funcionar até a última segunda, os prejuízos somam R$ 10 milhões, e os prejuízos relacionados aos serviços prestados são de R$ 1 milhão.

EM UNIDADES HABITACIONAIS, PREJUÍZOS DE R$ 5 MILHÕES
O parecer técnico da área de engenharia aponta que 620 unidades habitacionais, entre casas e prédios, foram atingidas na cidade. Entre elas, 12 casas tiveram perda total, e inúmeras estão sendo vistoriadas e apresentam problemas em sua estrutura. No interior do município, 30 residências foram atingidas e algumas também apresentam problemas estruturais. Com base nesses dados, levantou-se um prejuízo estimado de R$ 5.147.600 em bens privados.

Também, segundo o laudo técnico da área de engenharia da Prefeitura, com a baixa do rio e consequentes danos em móveis e pertences, o Município está recolhendo em média oito cargas de lixo por quadra atingida, despendendo R$ 47.952 para a remoção do lixo. Para a recuperação de pontes, estradas e bueiros, estima-se que o valor seja de R$ 1.501.800.

AÇÕES DESENVOLVIDAS
Em decorrência das cheias do rio Uruguai, a Defesa Civil Municipal se reuniu no dia 26, quinta-feira, no gabinete do prefeito, a fim de executar o plano de contingência para atender a comunidade. Já na tarde daquela quinta, o posto de atendimento da Defesa Civil foi montado junto à Brigada Militar e foram iniciadas as remoções das famílias, com auxílio da Prefeitura, parentes e amigos, além de ser emitidos boletins de alerta por meio da imprensa local.

No dia 27, o prefeito Paulo Sommer decretou situação de emergência em decorrência das cheias e convocou interessados em ajudar na força-tarefa, que contou com apoio de voluntários que se juntaram à Defesa Civil, bem como de órgãos de segurança e entidades governamentais e não governamentais.

No mesmo dia 27, foi iniciado o cadastro de atingidos, que todos foram indicados a fazer, visando ao levantamento de dados e controle. Foi solicitado auxílio com recursos humanos, materiais e financeiros aos governos, bem como aos voluntários e comunidade solidária, e recebidas várias doações, em dias esparsos, que, conforme chegavam, eram distribuídas aos cadastrados e alojados.

REUNIÃO COM TARSO E DILMA
Na semana passada, também representando a Associação dos Municípios das Missões (AMM), da qual é vice-presidente, o prefeito Paulo Sommer, junto com a Famurs, se reuniu com o governador Tarso Genro e com a presidente Dilma Rousseff para buscar alternativas para a situação do município. A Defesa Civil do Estado designou para Porto Xavier 400 kits de limpeza, que já foram distribuídos, 400 kits de alimentação, 400 kits de higiene e cem colchões de solteiro novos, que serão distribuídos conforme os critérios adotados pelo Conselho Municipal de Defesa Civil, que envolve vários segmentos da sociedade.

As roupas usadas recebidas de doações das mais diversas pessoas e instituições estão armazenadas e continuarão a ser distribuídas na próxima semana, em roteiro que será divulgado. Os demais itens arrecadados continuarão sendo distribuídos conforme os critérios adotados pelo Conselho Municipal de Defesa Civil, órgão legítimo de representatividade.