Procon orienta sobre cuidados com as compras de Natal

0
99

Pesquisa realizada pelo SPC Brasil e CNDL aponta que brasileiros compram presentes de última hora

 O Natal se aproxima, e alguns consumidores brasileiros não perdem o velho hábito de deixar tudo para a última hora, é o que aponta a pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O estudo estima que 14,6 milhões de pessoas pretendem comprar os presentes apenas nesta semana, o que corresponde a 13,2% de consumidores que têm a intenção de presentear alguém no Natal.

Entre os que deixaram para a última hora, a principal justificativa é a espera por promoções com o objetivo de economizar (39,2%), 16,8% afirmam que só vão receber salários e pagamentos próximo ao Natal; e 12,6%, porque estão esperando a segunda parcela do 13º. Outros 10,0% revelam que o motivo é a preguiça de fazer compras, deixando para comprar no limite da data comemorativa.
Em Santo Ângelo, os consumidores têm hoje e amanhã, das 9h às 22h, e o sábado (24), das das 9h às 16h, para realizarem as suas compras de Natal, aproveitando ainda o horário estendido do comércio. No entanto, alguns cuidados devem ser observados no momento da compra, como a aquisição consciente, e os cuidados com as promoções e as trocas. 
O coordenador do Procon de Santo Ângelo, Valter Portalete, destaca a importância de “pesquisar preços, observar a validade dos produtos, adequação dos brinquedos conforme a idade da criança e principalmente, comprar de forma consciente, evitando se possível a prestação longa, onde o valor do produto se torna muito maior por incidência de taxas e juros”. 
Quanto aos cuidados com as promoções na hora das compras, a dica de Portalete é ficar atento ao impulso. Segundo ele, “o cuidado principal é não se deixar levar pela emoção e acabar comprando por impulso. Promoção, liquidação e oferta são palavras tentadoras para o consumidor brasileiro e uma das causas do endividamento. Pensar, pesquisar e comparar são os verbos mais adequados nesta hora”. 
Como a época é de presentear e ser presenteado, outra dúvida dos consumidores se refere a como proceder a troca dos presentes. No entanto, fica o alerta de que o Código de Defesa do Consumidor (CDC) não obriga os fornecedores a trocarem os produtos. “O consumidor somente terá direito a troca de presentes quando a compra for realizada fora do estabelecimento comercial, ou seja, vendas na rua, internet, telefone. É o que denominamos de ‘prazo de reflexão ou prazo de arrependimento’, definidos no artigo 49 do CDC. Nos demais casos, os consumidores no momento da compra deverão indagar sobre a possibilidade de troca, pois esta é uma opção do lojista”, finaliza o coordenador.