Projeto “O sonho de voar” resgatou a história da aviação na Escola Concórdia

0
109

Alunos do colégio tiveram palestras, demonstração de paraquedismo e aeromodelismo

Voar foi algo que sempre fascinou o homem. Da mitologia grega aos aviões modernos e invisíveis da atualidade, passando pelo pintor, inventor e arquiteto Leonardo Da Vinci, a humanidade buscou formas para conseguir permanecer no ar. Santos Dumont, nascido em Minas Gerais, é considerado o pai da aviação, ao inventar o 14 – Bis e promover o primeiro voo, no dia 23 de outubro de 1906. Nesta data, é comemorado, no Brasil, o dia da Aviação e do Aviador.

Com a proposta de conhecer a história da aviação, vivenciar o uso das tecnologias e oportunizar uma visão crítica sobre às evoluções da humanidade e para marcar a data, a Escola de Ensino Fundamental Concórdia, de Santo Ângelo, realizou, na última terça-feira, dia 23, o projeto “Sonho de Voar”.

Dentro do projeto, os alunos da escola puderam ver uma exposição de maquetes, miniaturas e palestras sobre a avaliação. Em pauta, temas como a evolução dos aviões e da aviação frente às guerras, a cargo do historiador e colecionador Pedro Paulo Menezes Neto; questões da física, como a resistência do ar e aerodinâmica e curiosidades sobre a aviação, com Luis Persigo, do Grupo de Escoteiros do Ar de Santo Ângelo, que é instrutor de paraquedismo e realizou uma demonstração das técnicas que envolvem esta prática. Também foram realizadas demonstrações de aeromodelismo, com membros da Associação Missioneira de Aeromodelismo.

De acordo com a diretora do colégio Concórdia, Magali Arndt Deckert, o projeto “Sonho de Voar” foi elaborado a partir dos questionamentos dos alunos em sala de aula. “Eles demonstraram o interesse no tema e através desta demanda, buscamos esses palestrantes para dividir seu conhecimento com a Escola. Também é uma forma de compartilharmos o acervo de aviação que o historiador Pedro Paulo possui”, observa.

Além das palestras e exposições, o projeto compreende a escrita de redações pelos alunos. “Depois do que eles viram e aprenderam com o Projeto, eles serão desafiados a escreverem redações sobre o tema. As duas melhores (um menino e uma menina), ganharão um voo panorâmico pela cidade, junto com um professor, proporcionado pelo Aeroclube de Santo Ângelo”, complementa a diretora Magali.

Historiador Pedro Paulo: um apaixonado pela aviação

Durante as atividades do Projeto “O Sonho de Voar”, da Escola de Ensino Fundamental Concórdia, o historiador Pedro Paulo Menezes Neto, dono de uma vasta coleção de miniaturas, que estavam em exposição na escola, deu uma aula sobre a história da aviação.

Apaixonado pelo tema, o historiador tratou, principalmente, da aviação nos períodos de guerra. “Sou filho de militar e me criei dentro de uma base aérea. Aqui vim dar minha contribuição para o Colégio. Também procurei resgatar, através da minha fala, sobre a importância do resgate de valores e da ética na sociedade”, observa.

O historiador já se correspondeu com ex-pilotos da aviação alemã, que atuaram na Segunda Guerra Mundial. “Muitos morreram bem velhinhos. Admiro muito os aviadores alemães, pois eles são os maiores combatentes. E aqui é necessário fazer uma diferenciação entre o combatente e o ideólogo. Esses aviadores não eram a favor do genocídio, nem da ideologia nazista, eles defendiam a sua pátria acima de tudo. Muitos, inclusive, eram contra Hitler”, salienta.

Pedro Paulo também já escreveu três livros sobre aviação, o seu último, intitulado “J’Acuse” (eu acuso, em francês), no qual acrescentou um capítulo na história da aviação brasileira e pelo qual se tornou persona non grata pela Aeronáutica Brasileira. “Provo, através de documentos obtidos mediante ação judicial, que o Exército Brasileiro abateu o avião de Castelo Branco. Ele desagradou os militares linha duras da Ditadura Brasileira e se tornou um inconveniente. O Estatuto da Terra foi sua sentença de morte. Mas não me arrependo de ter escrito esse livro. Com isso, tentei resgatar a honra militar”, complementa.