Projeto que fomenta o empreendedorismo é retomado em Santo Ângelo

0
99

Alunos do 2º ano do Ensino Médio serão convidados a mergulhar no universo empreendedor

Na tarde desta terça-feira (8) o Jornal das Missões recebeu a visita de representantes da Junior Achievement de Santo Ângelo, através do coordenador do projeto Rodrigo Jaeger Zucco, diretor da imobiliária Jaeger, e Carlos Oberdan Rolim, Gestor da encubadora de empresas URInova. O encontro teve o objetivo de expor o retorno das atividades do projeto e a busca por novos voluntários que tenham interesse em participar e crescer com o empreendedorismo. Também, neste mês, estão sendo formadas as turmas nas escolas que vão participar do programa.
A Junior Achievement está presente há mais de 20 anos no Rio Grande do Sul e promove o programa Miniempresa. Ao longo dos 20 anos de atuação no RS, já foram mais de 1 milhão de jovens atingidos e impactados positivamente pelos programas.
De acordo com Rodrigo Zucco, no momento, iniciaram as sensibilizações nas escolas e a ideia é que na primeira quinzena de abril o projeto inicie com os alunos.
“O projeto foi reativado em Santo Ângelo em 2015 e, neste ano, continua em vigor. Ano passado foram três escolas que concluíram as aulas. Neste ano, a proposta inicial foi de incluir novas escolas de Santo Ângelo na Grade da Junior Achievement, no entanto, a perspectiva é que sete educandários fechem a parceria”, frisa.

PROGRAMA MINIEMPRESA
O Junior Achievement em Santo Ângelo trabalha com o projeto que se chama “Miniempresa”. O programa atende alunos do 2º ano do Ensino Médio.
“Os do 1º ano ainda são um pouco novos e os do 3º estão mais focados no vestibular. Então, esse público do 2º ano é o mais adequado para participar. Chamamos estes alunos para instituir uma Miniempresa durante as aulas, onde terá presidente, diretor de marketing, diretor de produção, diretor de RH e diretor financeiro. São quatro diretorias e a produção. Esse é o organograma da empresa”, afirma Zucco.
No início os alunos definem qual é o produto que será elaborado e, em seguida, aprendem a realizar pesquisa de mercado para verificar viabilidade. O próximo passo é o desenvolvimento do produto e arrecadação de fundos com ações. Assim que a empresa é instituída, começa a produção.
São 15 jornadas em que os alunos participam, divididas em um encontro por semana. Cada encontro dura pouco mais de 3h, em turno inverso às aulas. “Se eles estudam de manhã, a Junior Achievement será de noite, até para que os empresários possam participar como monitores”, explica. Os alunos precisam ainda encerrar a empresa antes dos 15 encontros.
“O projeto foi reativado em Santo Ângelo após 10 anos parado, com o objetivo de manter pessoas qualificadas na nossa cidade. Hoje, Santo Ângelo exporta muita gente qualificada que vai trabalhar em outra cidade e que não vislumbram a possibilidade de empreender aqui. Estamos em uma cidade em que as pessoas acreditam que o serviço público é a melhor alternativa e nossa ideia é trazer outra perspectiva e mostrar que existem outros caminhos que são viáveis e que podem dar até mais felicidade e sucesso. Queremos que essas pessoas qualificadas parem de evadir e empreendam aqui, gerando mais riqueza e empregos, coisa que de fato não acontece porque os melhores acabam saindo”, justifica o coordenador.

PARA SER VOLUNTÁRIO
Para ser voluntário e ajudar nas aulas não é necessário ter conhecimento algum. O candidato precisa apenas ter o interesse em participar. “A experiência é única. O único trabalho de um voluntário é seguir a apostila, basta vontade de participar. Os alunos também, são convidados a participar, ninguém vai obrigado.”
Neste ano já foram feitos contatos com as seguintes escolas: Escola da URI, Marista Santo Ângelo, Onofre Pires, Colégio Tiradentes, Colégio Pedro II, Odão Felippe Pippi, Colégio Missões e Verzeri. De acordo com os organizadores, algumas escolas acabaram optando por não participar, como no caso do Colégio Presidente Getúlio Vargas, Odão Felippe Pippi e Verzeri.
“As vezes os pais nos cobram sobre o motivo de não incluir o projeto na escola de seus filhos, então nós explicamos que às vezes a gente propõem o projeto às escolas mas elas acabam declinando e optando por não participar”, resume Zucco.

NOVAS OPORTUNIDADES
De acordo com o Gestor da URInova, Carlos Rolim, “o pessoal que está trabalhando no programa, acaba conhecendo pessoas com potencial para trabalhar em empresas e surgem até contratações. Há um incentivo no sentido de transmitir conhecimento, levar o nome da empresa adiante e acompanhar de perto futuros talentos. A gente vê essa possibilidade de fazer um fomento ao empreendedorismo. É uma semente para o futuro, um projeto a longo prazo que nós acreditamos muito”, define.

INFORMAÇÕES
Interessados em obter mais informações ou participar como voluntários podem entrar em contato com Rodrigo Zucco pelo telefone (55) 3313-1516, em horário comercial.