Pronatec é dúvida para Santo Ângelo em 2016

0
120

Instituições do município ainda não têm a informação se receberão orçamento para o programa

O orçamento do Pronatec (Programa de Ensino Técnico e Qualificação Profissional) tem redução de 65% em 2016. Pelo orçamento deste ano, o valor direcionado para o projeto é de apenas R$ 1,6 bilhão, ante R$ 4,7 bilhões investidos em 2015 e R$ 5,3 bilhões em 2014.
O número de vagas também foi expressivamente menor: 1,1 milhão em 2015. No ano anterior, foram quase três vezes mais. No Rio Grande do Sul ainda não há estimativa de se será ou não disponibilizado o programa em 2016.

SITUAÇÃO EM SANTO ÂNGELO

Em Santo Ângelo, os institutos de ensino que ofereciam cursos do Pronatec, não confirmam a adesão neste ano. No Instituto Federal Farroupilha (IF Farroupilha), conforme a diretora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Rosane Pagno, embora ainda haja turma se formando neste mês pelo programa, “para 2016, o governo ainda não repassou a informação de se haverá continuidade do Pronatec na instituição devido à questão orçamentária”.
Conforme informações do Senac, que também disponibilizava cursos pelo Pronatec, este ano serão oferecidas aulas apenas para turma remanescente. Em 2015 a instituição já não recebeu o referente ao pagamento do ano de 2014, e o atraso no orçamento seria o motivo dos cortes.
Já o Senai garante que, embora já no mês de feveiro, ainda não recebeu nenhuma informação do governo Federal quanto aos novos cursos do Pronatec para serem ofertados em 2016.

SOBRE O PRONATEC
Desde 2011, quando o Pronatec foi criado, 8 milhões de pessoas passaram pelo programa. A iniciativa teve uma nova fase anunciada em junho de 2014, quando o governo Federal se comprometeu com mais 12 milhões de oportunidades entre 2015 e 2019. No entanto, a crise econômica está desencadeando cortes de verba nos programas educacionais, por isso o Pronatec também deve ser afetado ao longo de 2016.
O programa foi uma das principais bandeiras na campanha para o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Em 2014, a presidente participou de ao menos 11 formaturas dele.
As despesas com o programa incluem alimentação, material e transporte para os alunos, além de repasse de verbas para as instituições participantes. O corte de R$10,2 bilhões no orçamento do MEC afetou também outras iniciativas, como o Fies e o Ciências sem Fronteiras.
Para especialistas, as medidas ainda terão impacto na execução no Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado em 2014. Apesar dos cortes, o governo ainda trabalha para tentar cumprir as metas previstas no PNE mas garante, porém, que mesmo se houver melhora no cenário econômico nos próximos anos, as novas metas poderão ser revistas.