Raridades atraem mais de 10 mil visitantes para o 1º Encontro de Veículos Antigos

0
93

Carros de diferentes épocas do século 20 foram expostos no Parque da Fenamilho

Uma viagem no tempo. Assim pode ser definido o 1º Encontro de Carros Antigos, promovido pela Associação de Veículos Antigos de Santo Ângelo (Avant) no último domingo, no Parque da Fenamilho. Carros das últimas 80 décadas puderam ser vistos pelos milhares de visitantes da Capital das Missões e da região que lá compareceram.

Uma grande diversidade de modelos, de caráter popular ou luxuoso e de diferentes épocas do século 20, esteve espalhada pelos pavilhões e espaços externos do parque, com direito à premiação aos mais destacados. Foram avaliados itens como exclusividade, beleza, qualidade da restauração e premiação específica para os visitantes de fora de Santo Ângelo. Também foi premiado o clube mais organizado – composto por colecionadores de Sarandi e Constantina, que estiveram no evento desde sábado.

Parte dos veículos presentes possuía placa preta – item desejado por muitos colecionadores e somente concedido a veículos que possuem mais de 30 anos e mantenham 80% das peças do veículo originais, e ainda conservando bom estado.

Esse é o caso do Ford A 1929 – se não o mais antigo do evento, um dos mais –, de propriedade do cirurgião-dentista Dione Pereira da Silva, de 64 anos. O veículo, pelo qual pagou R$ 9 mil há 10 anos e gastou outros R$ 30 mil para restaurá-lo, está com mais de 90% das peças de fábrica. Dione reside em Santa Rosa e diz que circula eventualmente com o carro. “Há dois anos fui para a praia e dirigi cerca de dois mil quilômetros com ele”, conta o proprietário, que diz viajar em média a 70 ou 80 km/h. “Mas o carro corre bem mais”, garante.

Dione Pereira da Silva possui ainda outros dois veículos antigos, um Ford Landau 1979 e um Jeep 1948, mas que não levou na exposição. “São veículos que sempre desejei ter”, afirma ele, que não vende o Ford 29 nem por R$ 120 mil, valor que já recebeu em uma avaliação. “Aparecem bastantes propostas, algumas sérias; mas não vendo.”

MODELO ESPORTIVO

Outro veículo que reuniu grande número de interessados no encontro foi um Chevrolet Corvette 1977, de propriedade de Mateus Pedrozzoni, de 32 anos. O carro está com ele há três anos e é todo original. Porém, Mateus diz que não tem interesse de conseguir a placa preta. “Tenho o veículo por paixão, só para expor em eventos”, afirma ele, que ainda possui um Dodge Charger 1977, um Dodge Dart 1975 e um F-100 1959.

Quando abriu o capô do Corvette, dezenas de curiosos se apertaram próximo ao carro para ver o motor e ouvir o ronco. O veículo possui direção hidráulica, vidro elétrico e piloto automático, além de outros luxos. O valor de avaliação gira em torno de R$ 120 mil a R$ 130 mil.

Ao todo, o empresário já teve 27 modelos antigos, dentre os quais um Galaxie 1961 e um Impala 1968, ambos considerados raros. Porém, não utiliza nenhum deles para o dia a dia, destinando os veículos para exposições em todo o Rio Grande do Sul.

PÚBLICO SURPREENDENTE

O grande volume de veículos expostos e, principalmente, o público, foram avaliados como altamente positivos pelos organizadores. O presidente da Avant, André Mallmann, conta que o 1º Encontro de Carros Antigos já nasceu como o terceiro maior do Estado, ficando atrás de Novo Hamburgo e São Marcos, que organizam seus eventos há mais de 10 anos.

“Nós esperávamos cerca de 300 veículos expostos, e reunimos 350. Mas o que nos surpreendeu foi o grande público, pois mais de 10 mil pessoas circularam pelo parque no domingo”, afirma Mallmann.
Expositores de todas as regiões do Rio Grande do Sul compareceram, inclusive de fora do Estado. “Foi um evento cultural, para toda a família”, resume o presidente da Avant, que já projeta a próxima edição para 22 de março de 2015, no Dia do Município.