Receitas de duas santo-angelenses integram e-book lançado pelo Sesc/RS

0
152

Têm receitas que trazem memórias afetivas. Quem já se viu voltando ao passado ao saborear algo que costumava comer com grande prazer? Essas sensações têm a capacidade de trazer um conforto inexplicável.

São receitas que geram essas sensações que integram dois e-books lançados pelo Sesc/RS. As sugestões dos livros Artistando Sabores e Receitas com Memória foram elaboradas por participantes do Programa Maturidade Ativa, que reúne pessoas com mais de 50 anos e estimula a busca por mais saúde e bem-estar na terceira idade.

Maria Salete Moreira e Elegântina Bueno, de Santo Ângelo, enviaram as suas receitas, que estão publicadas na edição de Artistando Sabores – obra que reúne contribuições de todo o estado.

O e-book, mais do que ingredientes e modos de preparo, relata histórias de como cada receita faz parte da memória afetiva das pessoas que as sugeriram.

Amor de receita

Maria Salete Moreira compartilhou a massa caseira, alimento que ela aprendeu com a mãe. A receita era preparada aos finais de semana. Era o prato principal nas refeições quando o primeiro namorado de Salete ia visitá-la no Lajeador Cerne.

“Ele dizia que nunca tinha comido uma massa tão boa quanto a que a mãe fazia”, lembra ela.

Depois de casados, o marido solicitava que Salete preparasse aquela massa caseira com sabor do interior. O casamento acabou, mas a massa, Salete segue preparando e agora compartilha com todos.

Doce típico

Dona Elegântina e o bolo de butiá, receita preparada com ajuda da filha Fátima

Farinha, ovos, açúcar, óleo e fermento. Essa é a base de um bolo comum. Mas a receita da dona Elegântina Bueno, de comum tem nada.

A receita dela foi um bolo de butiá – fruta típica do Rio Grande do Sul. Elegântina conta que provou o bolo na casa da filha, Fátima Gindri, e decidiu testar.

Incentivada Sandra Rosinski, que coordenadora do Maturidade Ativa em Santo Ângelo, Elegântina decidiu compartilhar a receita do bolo para o Sesc.

O doce foi preparado com todo carinho por ela e pela filha. A cobertura, a calda de butiá, foi produzida com as frutas colhidas na chácara do filho.

“Fico contente em ter a receita escolhida entre tantas receitas enviadas para o Sesc”, conta Elegântina. “Espero que as pessoas façam em casa e gostem do bolo de butiá.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here