Resgatando a cultura das bonecas de pano

0
79

Grupo se reune semanalmente para confecção de brinquedos que são doados às crianças carentes

 Desde julho de 2016, Anadir Moraes Eich, Eni Moraes, Rejane Soares, Kika Vidalis e mais outras 11 amigas, estão envolvidas na confecção de bonecas de pano, as quais estão sendo doadas em entidades de Santo Ângelo. 

O projeto solidário teve iniciativa de Anadir, dona da residência onde normalmente a fabricação das bonecas acontece. Em entrevista, ela contou que a ideia surgiu quando sua filha disse que quando tivesse uma filha, faria bonecas de pano a ela, pois hoje em dia dificilmente se tem acesso a esse tipo de trabalho. “Eu logo já pensei nisso, de fazer um dia para doar para um órgão beneficente, para as crianças e nos lares”, declarou. 
Porém, Anadir não sabia fazer bonecas, tinha apenas alguns conhecimentos em costura, então foi quando procurou alguém que lhe ensinasse. Rejane foi sua “professora de bonecas”, e hoje também participa do projeto. 
Depois de aprender como uma boneca era fabricada, a fundadora do projeto entrou em contato com Eni, sua amiga, que achou legal a ideia e se propôs a ajudar. Foi então que tomou coragem de iniciar o projeto, mandou mensagens pelo Whatsapp em grupos com amigas, e todas a incentivaram e algumas aceitaram participar do grupo.
Hoje são 15 mulheres envolvidas na confecção de bonecas de pano. No início, conforme Eni, muitas participavam na confecção. Enquanto umas costuravam, outras realizavam o enchimento das peças. Hoje, Anadir, Eni, Rejane e Kika são as principais costureiras, as outras mulheres ajudam com doações de linhas, tecidos, fibras e outros materiais por conta dos horários que confeccionam e algumas não conseguem ir ao local.
As bonecas têm um tamanho médio de 25 cm, mas a pretensão do grupo é também confeccionar bonecas maiores. “A medida que vamos recebendo doações podemos fazer elas maiores. Até nós estamos fazendo ursinhos agora, pois o ursino não precisa botar muita roupa, muito enfeite, com alguns retalhos conseguimos fazer”, disse Anadir.
Todas se sentem muito felizes com esse trabalho. “Estamos todas contentes com que estamos fazendo, é uma terapia para nós. Não tem coisa melhor e mais gratificante que fazer um trabalho que tu sabe que vai trazer alegria e é um prazer ver as crianças felizes com o brinquedo”, declarou Anadir.
“Estamos resgatando a cultura da boneca de pano. Hoje é tão comum crianças brincando com tecnologias. E quando entregamos as bonecas, é algo que faz bem pra gente”, complementou Eni.
Cada boneca tem uma cara, um estilo, nenhuma é igual à outra. “O legal é que cada criança tem a sua boneca, é personalizada, não é algo industrializado, é cada uma de um jeito. E a gente as faz com muito carinho”, finalizou Rejane.
 
ENTREGAS ÀS ENTIDADES
Uma doação já foi realizada pelo grupo para crianças do Centro de Acolhimento Martinho Lutero, em Santo Ângelo. Outra entrega deve ser feita na próxima semana no Lar da Menina. “Como são várias meninas, vamos para as de até 5 anos, e mais tarde para as mais velhas”, relatou Eni.
Após realizar as doações em entidades, os planos do grupo, segundo Anadir, é ir em alguma comunidade mais carente e entregar às crianças.
 
COMO AJUDAR
Todas as doações ao grupo são bem-vindas. Podem ser em dinheiro para a compra de materiais ou a doação de materiais como: linhas, rendinhas, aviamento, fitas de cetim, retalhos de tecidos, fibra de silicone para enchimento, tecido de algodão cru, entre outros. Para mais informações de como realizar a doação, pode ser realizado contato por telefone com Anadir (9999-2781) ou Eni (9977-8788).