Santo Ângelo escolhe prioridades para levar à assembleia regional da Participação Popular e Cidadã

0
100

Saúde foi destaque entre as demandas consideradas mais importantes para a população

A comunidade de Santo Ângelo enfrentou o frio e a chuva fina da noite de quinta-feira para escolher as áreas e ações prioritárias para o orçamento do Governo do Estado, durante a audiência pública municipal da Participação Popular e Cidadã. O encontro foi no Teatro Antônio Sepp e reuniu aproximadamente 345 participantes.

Com essa participação, Santo Ângelo será representada na assembleia regional com 12 delegados (um delegado a cada 30 participantes). O encontro das Missões será no dia 9 de julho, quando serão levadas as prioridades escolhidas em cada município para definir quais delas entrarão na cédula e qual o valor alocado para a destinação de recursos.

No encontro, o presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento (Comude), Benoni Squizani, questionou a pequena participação – em comparação com outros municípios – da comunidade no encontro. “No momento em que o país está marcado por manifestações, e inclusive uma está agendada para Santo Ângelo, aqui neste evento, que é um canal oficial de participação, estamos com pouca representação”, disse ele. Squizani defendeu que, além da educação e saúde, a população escolha como prioridades o investimento em geração de empregos, para que a população se mantenha em Santo Ângelo.

Já o presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) Missões, Maurílio Tiecker, defendeu que se utilize parte do dinheiro destinado à Participação Popular e Cidadã para estruturar uma equipe técnica destinada a elaborar projetos. “Se tivermos uma equipe qualificada para isso, poderemos buscar mais recursos em Brasília. Só se traz recursos com projetos”, afirmou.
Por sua vez, o coordenador da Participação Popular e Cidadã (PPC) da região das Missões, João Fioravanti, ressaltou que o programa tem o objetivo de despertar a cidadania na população. “O governo que ouve a população com certeza erra menos. Não são somente esses R$ 4 milhões do orçamento que são escolhidos especificamente pela população, mas as demandas regionais auxiliam o governo a definir a peça orçamentária. Um exemplo disso é que agora o Governo do Estado vai investir pela primeira vez os 12% do orçamento na saúde, porque o governador viu que a população definiu essa área como prioridade”, afirmou.  

SAÚDE É PRIORIDADE
Ganhou destaque na assembleia a manifestação em favor da saúde, que acabou representando boa parte das 10 demandas escolhidas. O administrador do Hospital Santo Ângelo, Fernando Branco, defendeu o fortalecimento dos hospitais regionais. Ele pediu recursos para equipar o HSA para trazer uma unidade de tratamento do câncer ao município.

Jerônimo Riechel, presidente do Conselho Municipal de Saúde, foi aplaudido quando defendeu que não é tão necessária estrutura física, mas humana. “Precisamos de médicos comprometidos com o ser humano. Devemos cobrar isso nos nossos movimentos. Temos sete Estratégias da Saúde da Família em Santo Ângelo, mas há equipes que não possuem um veículo para ir até a casa do paciente. Os hospitais usam os recursos para tratar as doenças, mas os ESFs tratam da saúde”, afirmou ele.

DEMANDAS ELEITAS EM SANTO ÂNGELO

1 – Fomento à Pesquisa, ao Desenvolvimento e à Inovação
2 – Promoção e desenvolvimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs)
3 – Construção/Ampliação de Hospitais;
4 – Aquisição de equipamentos para Hospitais;
5 – Aquisição de veículos para ESF;
6 – Aparelhamento dos órgãos de segurança pública,
7 – Prevenção e Enfrentamento da Violência contra as Mulheres
8- Desenvolvimento e Marketing de produtos turísticos (divulgação turística)
9 – Desenvolver ações de promoção à saúde, recreação e lazer
10 – Equipamentos/Mobiliários Básicos e de Qualificação dos Espaços Escolares, CREs e SEDUC

DEMANDAS ESTRUTURANTES

1 – Fortalecimento dos Hospitais Regionais
2 – Apoio às Áreas e/ou Distritos Industriais Municipais
3 – Promoção e desenvolvimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs)
4 – Criação de Laboratórios de Análises Químicas
5 – Criação de Parque Tecnológico

PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS RECURSOS INVESTIDOS PELO GOVERNO ESTADUAL

 

 

No encontro, o coordenador do Case de Santo Ângelo, Dalmir Ledur, fez uma breve prestação de contas dos valores investidos pelo Governo do Estado no município nos últimos anos. Na 14ª Coordenadoria Regional de Educação, foram aproximadamente R$ 3,3 milhões em autonomia financeira, R$ 1,6 milhões em obras e R$ 782 mil em transporte escolar.

Na 12ª Coordenadoria Regional de Saúde, em 2011 foram investidos R$ 1,1 milhão, em 2012 R$ 2,4 milhões e em 2013, até junho, foram investidos R$ 1,7 milhão.

Já pela Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, com anistia de dívidas, melhorias de acessos, cartão emergencial e aquisição de equipamentos, os recursos repassados foram de R$ 943 mil.

Pela Emater, foram 1.124 famílias beneficiadas com assistência técnica e social. Pela Defesa Civil, foram gastos R$ 51,9 mil na revitalização de poços artesianos e R$ 30 mil na construção de 200 caixas d’água.

Já no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case), que atende 87 municípios, há investimentos em projetos de profissionalização, além do ingresso de sete novos servidores.

Dalmir Ledur também apresentou alguns investimentos feitos pela Corsan, com saneamento de água e esgoto (R$ 4 milhões já investidos e R$ 4,2 milhões programados), além dos recursos repassados ao Fundo de Gestão Compartilhada, que já possui R$ 9,1 milhões, dos quais 70% são oriundos da Companhia.