Santo Ângelo está fora do processo seletivo do curso de Medicina

0
95

Decisão do MEC foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (21)

Nesta sexta-feira (21), foi publicada no Diário Oficial da União a Portaria 731 que confirmou Santo Ângelo fora do processo seletivo das cidades para receber curso de Medicina. Os municípios de Ijuí, Erechim, Novo Hamburgo e São Leopoldo foram as cidades gaúchas pré-selecionadas. Na próxima etapa, essas cidades receberão visitas in loco por uma comissão de especialistas para verificar a estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes.
Uma publicação da lista provisória das cidades pré-selecionadas já havia sido publicada no dia 3 de dezembro. Na semana passada representantes de Santo Ângelo estiveram em Brasília tentando reverter a situação, o que acabou não acontecendo. Dos 72 municípios que apresentaram recursos cujas propostas foram inicialmente indeferidas, sete deles tiveram os recursos deferidos.

O QUE DIZ O MUNICÍPIO
Segundo o administrador da Secretaria Municipal de Saúde, André Kissel, a vice-prefeita Nara Damião, a secretária de Saúde, Eunice Preta Belinazo, acompanhadas do deputado federal, Osmar Terra, mantiveram audiência com o secretário da Secretaria de Regularização e Supervisão de Educação Superior, Jorge Rodrigo Araújo Messias, tentando mudar essa decisão.
Kissel explica que Messias deu uma esperança para Santo Ângelo poder reverter esse processo. Segundo o representante da Secretaria Municipal de Saúde, foi dada uma missão para Santo Ângelo tentar se habilitar para o curso de Medicina. “Formamos uma força-tarefa com o Hospital Santo Ângelo e Iesa. Até o final de fevereiro teremos que cumprir os seguintes itens: habilitar um hospital-escola para o Hospital Santo Ângelo, colocar em funcionamento a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), ampliar o número de leitos através de parcerias com outros municípios e ampliar a abrangência do programa Estratégia Saúde da Família (ESF) de 24% para 50%”, explica.
Em relação ao número de leitos, André Kissel disse que essa questão já foi resolvida, pois foram fechadas parcerias com os hospitais de São Borja e São Luiz Gonzaga. De acordo com Kissel, o Ministério da Educação (MEC) estabelece um número mínimo de 250 leitos e Santo Ângelo tem 168. Com essa parceria seria possível ultrapassar o número exigido pelo MEC.

MAIS MÉDICOS
A maior dificuldade apontada por André Kissel seria a contratação do número de médicos para atuar no programa Estratégia Saúde da Família. Para se enquadrar nas exigências no que se refere aos ESFs, seria preciso a contratação de 11 médicos e apenas cinco se inscreveram. No entanto um deles desistiu. Ele explica que representantes do município estiveram reunidos com a coordenadora do Mais Médicos do RS, Carla Correa, tentando conseguir médicos para Santo Ângelo. A coordenadora sinalizou a possibilidade de médicos cubanos atuarem no município em 2014.