Sartori diz que concessões são única solução para rodovias

0
103

Candidato do PMDB ressalta que o Estado não tem condições financeiras de arcar com melhorias

Em entrevista exclusiva ao programa Rádio Visão, da Rádio Santo Ângelo, na manhã de ontem (17), o candidato ao governo do Estado José Ivo Sartori (PMDB) falou sobre investimentos, saúde e estradas e respondeu a acusações feitas pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

Questionado sobre a situação das estradas do Estado, o candidato enfatizou que a situação financeira é difícil e é preciso equilibrar as finanças para voltar a ter capacidade de investimento na infraestrutura. “Precisamos, sim, investir especialmente nas rodovias do Estado, pois são elas quem faz o escoamento da produção com maior rapidez. Isso levanta outro ponto importante, que é a produção agrícola, base econômica da região. Então, há necessidade de uma política voltada para o fortalecimento desse setor”, afirma.

Ainda sobre o melhoramento das estradas, Sartori afirma que será necessário realizar concessões, tendo em vista que o Estado não dispõe de recursos financeiros para arcar com as obras de infraestrutura necessárias nas rodovias e nos acessos municipais.

PEDÁGIOS
Questionado sobre a volta dos pedágios ao Rio Grande do Sul, o candidato é enfático: “Os pedágios nunca deixaram de existir”.

“Vamos ter concessões bem organizadas e estruturadas com controle público e me coloco na posição de quem observa que os últimos pedágios estabelecidos pelas rodoviais federais são um belo modelo, com preço mais baixo e condições para que os investidores possam ter mais tempo para solucionar o problema”, afirma. Ele ressalta que não há outro caminho para potencializar a capacidade das rodoviais gaúchas.

SAÚDE
Sempre um assunto polêmico, a saúde no Estado, apesar dos avanços, ainda tem muito em que evoluir. Para Sartori, o caminho é a descentralização e regionalização de forma mais ampliada.

“Temos de fortalecer os hospitais e fazer parcerias para potencializar o atendimento na área da alta complexidade, mas não há maneira se não for valorizado o aspecto regional”, ressalta. Outro ponto destacado pelo candidato é a necessidade dos investimentos em atenção básica. “Mais do que investir no tratamento curativo, temos de investir no preventivo”, declara.

ACUSAÇÕES DO PT
Constantemente acusado de ser um dos protagonistas das privatizações do governo Antônio Britto, o candidato se defende dizendo que há pessoas que preferem olhar para trás e ressaltar os passos que deram errado a ressaltar as ações que deram certo. “Temos de olhar para a frente, para o futuro. Não me preocupo muito, pois já fui candidato a prefeito em duas ocasiões em Caxias e as acusações eram as mesmas. No entanto, me elegi nas duas vezes e basta olhar para a cidade para saber o que eu fiz”, afirma.

Ele ressalta ainda que pretende manter as ações realizadas durante todos os governos anteriores, mantendo os projetos que ele julga terem dado certo e revendo os que precisam ser revistos, além de construir novos para sanar as necessidades dos gaúchos.