Saúde realiza levantamento de infestação do mosquito da dengue

0
87

Meta é visitar 12 mil residências até domingo, em busca de focos do mosquito aedes aegypti

Começou ontem (25) em Santo Ângelo o levantamento do índice rápido de infestação do aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.

A atividade é coordenada pela Fundação Nacional da Saúde – Funasa e por técnicos da Vigilância Ambiental do município.

O trabalho de campo segue até domingo (29), com a participação de 32 agentes da dengue que terão a missão de visitar 12 mil casas, nos quatro quadrantes da cidade e mais a região central.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Ambiental municipal, Selenir Arruda, as residências visitadas cumprem o percentual total de imóveis estabelecidos pelo Ministério da Saúde, que em Santo Ângelo chega a 20%.

O agente da dengue realiza uma vistoria na parte externa da residência, eliminando os depósitos de água onde exista a presença de larvas do mosquito transmissor da dengue.

Além disso, diz Selenir Arruda, o diagnóstico servirá para esclarecer quais são os principais depósitos que acumulam água nas residências, ou seja, vasos e potes de flores, garrafas, sacos plásticos e depósitos de lixo.

O município de Santo Ângelo contabiliza atualmente um caso importado de dengue.

Desde o começo do ano até o dia de hoje, os agentes da vigilância ambiental já encontraram e eliminaram 250 focos do mosquito Aedes Aegypti, o transmissor da dengue.

MAIS 4 CASOS DE DENGUE NA REGIÃO

A Secretaria Estadual da Saúde, por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, confirmou mais quatro casos de dengue contraída no Rio Grande do Sul.

Eles foram registrados em Campinas das Missões (3 casos) e Tuparendi (1 caso).

No total, são 19 casos chamados de autóctones, ou seja, quando a contaminação ocorreu dentro do Estado.

Os registros, ainda considerados sob controle, estão restritos à região Noroeste.

Também foram confirmados até o momento 40 casos de dengue contraída em outros estados ou países.

As medidas de controle desenvolvidas incluem a eliminação de criadouros, tratamento químico da área, pesquisa de casos suspeitos e mobilização e esclarecimento da população e dos profissionais de saúde.

Os municípios da região Noroeste estão em alerta para a identificação de casos suspeitos de dengue e intensificando as ações preventivas e de controle do mosquito.

A Secretaria Estadual da Saúde ressalta que os sinais e sintomas de dengue são febre alta, dores articulares e musculares, dor de cabeça, manchas avermelhadas pelo corpo, vômitos e diarreia.

As pessoas que apresentarem esse quadro clínico devem procurar o posto de saúde mais próximo para avaliação médica.