Seca provoca quebra de 70% na produção de soja

0
93

Produtores da região mobilizam-se para reivindicar prorrogação de dívidas

Se não chover nas próximas semanas, as perdas nas lavouras de soja de Santo Ângelo e região podem chegar a 100%. De acordo com dados da Farsul, até o início do mês de fevereiro, as perdas chegam a 70% da produção. No milho, a quebra chega aos 80% da produção, no gado leiteiro 30% a 40% e no gado de corte os prejuízos chegam também aos 40%. Em números, as perdas somam 20 bilhões em todo o Estado gaúcho. “Esse é o cenário mais animador. Com certeza as perdas já são maiores”, avalia o presidente em exercício da Aprosoja, Laércio Pilau.

De acordo com os dados, a quebra na produção devido à falta de chuvas deve afetar toda a cadeia produtiva. “Teremos um impacto de, pelo menos, 5% do PIB do Estado, além da diminuição em mais de 1 bilhão no retorno do ICMS. Estimamos que mais de 800 mil empregos estão em situação de risco, incluindo o comércio. Lembrando que os dados não são finais, dependem, ainda, do clima nas próximas semanas. Se chover pode-se estagnar o quadro de perdas, agora, se continuar sem chuvas, as perdas serão totais”, enfatiza. Confira dados detalhados nos quadros acima.

Diante deste quadro, que já não é mais de estiagem e sim de seca, o Sindicato Rural de Santo Ângelo tem mobilizado os agricultores de sua região de abrangência, para buscarem soluções junto aos governos estadual e federal, com o objetivo melhorar a situação do campo daqui para frente. “Nós reivindicamos três pontos fundamentais: garantia de renda, seguro e a repactuação de dívidas”, complementa Ricardo Copetti, presidente do Sindicato Rural.

TE MEXE PRODUTOR

O Sindicato Rural está lançando a campanha “Te Mexe Produtor”, para mobilizar a categoria em busca de suas revindicações. Para isso, serão feitas mobilizações em três eventos de grande importância para os agricultores. O primeiro é na abertura da colheita do arroz, no dia 25 de fevereiro, em Restinga Seca. Depois, nova mobilização na abertura da colheita da soja, em Tupanciretã. E no dia 9 de março, nova mobilização em audiência pública da Comissão de Agricultura do Senado Federal, que será realizada durante a Expodireto, em Não-Me-Toque, onde será entregue um documento às autoridades presentes. Para os três eventos, o Sindicato Rural de Santo Ângelo disponibilizará transporte. “Quanto maior a mobilização dos produtores, melhor para o movimento e para conseguirmos atingir os nossos objetivos”, reflete Copetti.