Secretaria da Saúde diz que resultado de exame de suposto caso de dengue é negativo

0
127

Suspeita era de um homem residente no Bairro Pilau que ficou em isolamento em casa

 A Secretaria de Saúde recebeu na manhã desta segunda-feira (21), o resultado de um exame sorológico realizado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) com amostra coletada em um homem, residente no Bairro Pilau, que estava com suspeita de dengue.

Segundo a responsável pela Vigilância Epidemiológica, enfermeira Juliane da Rosa, o resultado foi negativo. “Mesmo assim a população precisa ficar em alerta e evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, o causador da dengue”, disse.

GOVERNO DO ESTADO CONVOCA PARA O COMBATE

A melhor prevenção contra a dengue é combater o mosquito. Esta é a mensagem do material educativo que o Governo do Estado distribui em ações do programa Verão numa Boa, lembrando a população sobre medidas simples que são fundamentais para evitar focos do Aedes aegypti. E para auxiliar no reforço das ações de prevenção, a Secretaria Estadual da Saúde também disponibilizou R$ 2,6 milhões para 126 municípios.

Entre os beneficiados, estão os 79 municípios considerados infestados pelo mosquito, ou seja, que nos últimos 12 meses tiveram a presença do inseto na forma de larvas em domicílios, com especial atenção aos onze municípios que nos últimos três anos registraram casos da doença. Também foram garantidos recursos às cidades de fronteira ou aqueles que são destino de veranistas. O repasse pode ser usado pelos gestores municipais para campanhas educativas, ampliação das equipes de agentes de combate a endemias e qualificação da estrutura material (veículos, equipamentos, uniformes, entre outros).

O material educativo desenvolvido pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) inclui jogos de memória, jogos informativos em formato de folder, imãs de geladeira e cevadores de mate. Eles orientam a população a não acumular água em vasos, fechar caixas d’água e limpar bebedouros de animais, entre outras ações que devem ser adotadas para a eliminação de focos do mosquito.

A distribuição é feita em atividades do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), como as barracas itinerantes que percorrem o Litoral, onde a população também pode conversar com técnicos do centro e se informar sobre outras doenças. Neste final de semana, as barracas estiveram em Capão da Canoa, no Litoral Norte, e em São José do Norte, no Sul.