Secretário Assis Brasil abre a 20ª Semana Cultural de Santo Ângelo

0
81

Secretário estadual de Cultura, Assis Brasil, participou da solenidade

Na noite da quinta-feira (2), com a presença do secretário de Estado da Cultura, o romancista, ensaísta e cronista Luiz Antônio de Assis Brasil, foi realizada a abertura da 20ª edição da Semana Cultural de Santo Ângelo na Capela do Colégio Teresa Verzeri.

O secretário chegou à tarde ao município e durante audiência com o Prefeito Eduardo Loureiro elogiou programação do evento de Santo Ângelo e as ações culturais desenvolvidas no município. “A partir de políticas públicas bem orientadas Santo Ângelo conseguiu estabelecer a tríade que se espera de todos os municípios brasileiros: o Conselho, o Plano e o Fundo de Cultura. Preenche todas as condições para integrar-se ao Sistema Nacional e ao Sistema Estadual de Cultura. Analisando a programação da semana percebi como contempla todas as manifestações artísticas, e tem que ser assim, pois cultura é um idioma universal que pertence a todos”.

LANÇAMENTO

Na cerimônia, realizada à noite no Colégio Verzeri, o secretário municipal de Cultura, Lazer e Juventude, Alberto Scherer, destacou os objetivos do evento. “Buscamos com esta semana resgatar e reforçar a importância das manifestações artísticas e a preservação do Patrimônio Histórico da cidade e da região”.

PATRONESSE

A Semana Cultural escolheu como patronesse, em 2012, a professora de história e ativista do movimento negro, Neusa Farias. Na sua manifestação, ela usou a poesia, a música e a vestimenta para caracterizar a cultura afro. “ Todo homem é filho de sua cultura. É dever de todos fazer com que a cultura seja oxigenada do contrário todos se asfixiam. A cultura que nos enriquece é baseada na diversidade, mas ainda falta uma maior aceitação do negro”, disse dona Neusa, como é conhecida.

TOMBAMENTO

Como parte da programação o secretário Assis Brasil assinou o livro tombamento da Capela Teresa Verzeri no livro das Belas Artes do Rio Grande do Sul. A capela já é tombada como Patrimônio Histórico do Estado e o ato complementa este tombamento.
Construída em 1951, a capela faz parte do complexo educacional da irmãs do Sagrado Coração de Jesus e tem em seu interior pinturas do artista italiano Emilio Sessa.