Série de Lives e filmes pelo fim da violência contra as mulheres começa nesta sexta

0
80
Programação da Coordenadoria da Mulher prevê atividades, todas on-line, durante 21 dias, com transmissão pelo Rádio Cidade SA. Rodrigo Bergsleithner/Prefeitura de santo Ângelo

Neste mês inicia a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, por meio de uma mobilização mundial, com o engajamento de diversos atores da sociedade civil e poder público para esse enfrentamento. Mundialmente, a Campanha se inicia em 25 de novembro (Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher) e vai até 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). No Brasil, são 21 dias de ativismo, eis que a campanha começa em 20 de novembro (Dia da Consciência Negra) com o objetivo de evidenciar a dupla discriminação vivida pelas mulheres negras.

Em Santo Ângelo, a Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (CMM) promove uma programação diferenciada que integra a Campanha dos 16 Anos de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, a qual tem início na próxima sexta-feira (20), às 15h, de forma virtual, por meio de transmissão do Portal de Notícias Radio Cidade SA (www.radiocidadesa.com.br), e contará com a presença do prefeito Jacques Barbosa, da primeira-dama Juliana Barbosa, do presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Pedro Waszkiewicz, e da coordenadora da CMM, psicóloga Marjorie Machado.

No mesmo dia, às 15h45min, também no portal Rádio Cidade, será transmitido o documentário “Enquanto Viver, Luto”, de Iléa Ferraz. A programação do primeiro dia conta ainda com a Live “Violência de Gênero e a Mulher Preta”, no portal Rádio Cidade, às 20h, com a presença da palestrante Kellen Vieira, de Brasília/DF, e com a mediação de Kyrlia Dornelles Mendonça.

TRANSMISSÕES NO PORTAL RÁDIO CIDADE SA

A coordenadora da CMM, Marjorie Machado, ressalta que todas as Lives dentro da programação do evento serão transmitidas, diariamente, pelo Portal Rádio Cidade SA de maneira gratuita, e o principal foco do evento é conscientizar a todos que existem diversos tipos de violência (física, psicológica, sexual, patrimonial e moral) e todas são uma violação dos direitos humanos. “Por isso, precisamos fazer este enfrentamento, buscando a sua prevenção, punição e erradicação e, por um lado, com a pandemia do Covid-19 o público deve estar presente de maneira expressiva em virtude do evento ter toda a sua programação de modo virtual”, explica.

A psicóloga Marjorie Machado explica que no final da programação do evento será criado um E-book por parte da Coordenadoria da Mulher, dentro do ideal chamado “Correio Elegante”, que faz parte do projeto “Bem Me Vi: Fortalecendo Laços, Compartilhando Potencialidades”, título que integra o projeto e dá nome ao E-book. “O nome desta ação, Correio Elegante, é inspirada na obra Correio Para as Mulheres, de Clarice Lispector, e será disponibilizado gratuitamente e de maneira virtual pela CMM, logicamente que com as identidades preservadas das mulheres. Dentro deste projeto Correio Elegante, as mulheres que estão ou estiveram em situação de violência trocaram cartas entre elas. As pacientes da Coordenadoria da Mulher fizeram cartas, uma endereçada à outra, sem o emissor conhecer o receptor. Este ideal foi uma ação que veio a substituir o grupo das mulheres que acontecia na CMM, impedido de ser realizado hoje em virtude da pandemia da Covid-19. Assim, elas estão trocando as cartas entre elas, onde as primeiras cartas serão publicadas no E-book. Desde a terça-feira (17), as pacientes da CMM receberam o conto Amor, da obra Laços de Família, também de Clarice Lispector, acompanhado de duas folhas em branco e uma carta institucional da Coordenadoria da Mulher, convidando as mesmas a produzirem um conto sobre algum tema, ou de alguma parte da vida delas, ou algo que as inspirem. A partir disso, estes contos serão o conteúdo do E-book, em uma inspiração literária de cada mulher envolvida , relata.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here