Servidores da Polícia Civil reforçam indicativo de greve em reunião

0
96

Representantes da Ugeirm Sindicato estiveram debatendo o tema com agentes em Santo Ângelo

Em reunião realizada na quinta-feira, na Delegacia de Polícia Regional, em Santo Ângelo, foi reforçado, pela Ugeirm – Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do RS, o indicativo de greve pelos servidores. Conforme o vice-presidente da Ugeirm, Fábio Castro, que esteve presente no encontro, os servidores da Polícia Civil de Santo Ângelo também aderiram à operação “Cumpra-se a lei”, em que os agentes atenderão apenas as atribuições determinadas por lei para sua função.

Ao exemplificar algumas funções que serão realizadas a partir de agora, Castro citou que cumprimento de mandado de busca e prisões em flagrante só serão feitas na presença de um delegado de Polícia. “Todas as etapas do flagrante serão feitas somente junto com um delegado. Vamos exigir que os delegados cumpram suas atribuições”, citou.

A ideia da categoria é pressionar o governo do Estado para a verticalidade no reajuste salarial, ou seja, a defesa de que os escrivães, inspetores e investigadores recebam o mesmo reajuste concedido aos delegados – o salário passará de cerca de R$ 7 mil para aproximadamente R$ 17 mil em seis anos. No caso das demais categorias da Polícia Civil, informa Castro, o agente em início de carreira recebe cerca de R$ 2 mil, mesmo sendo exigido nível superior para o cargo. “Reivindicamos que o salário fique em torno dos R$ 8 mil em seis anos, sendo a primeira parcela para 2013. Se o governo não quiser que se instale um caos, por conta da greve de policiais, ele terá que se sensibilizar com a nossa causa”, afirmou Castro, ressaltando que a direção da Ugeirm está percorrendo o Estado para mobilizar os servidores pela greve.

Uma assembleia geral será realizada em 16 de março, quando pode haver uma decisão sobre o indicativo de greve.