Sobrado envolvido em polêmica no ano passado foi demolido

0
81

Decisão da justiça revogou liminar que embargava a obra de demolição do prédio

Quem transitar pelas esquinas da rua Antonio Manoel com a Florêncio de Abreu não verá mais a presença de um sobrado construído em 1924. No último sábado, o prédio foi demolido.

A demolição deste prédio, considerado histórico, começou ainda no mês de setembro do ano passado. As obras pararam porque quando a Prefeitura Municipal revogou o alvará de demolição dos proprietários.

Logo após, o Ministério Público também entrou com uma medida cautelar e uma ação civil pública, pedindo o fim das obras de demolição.

Uma liminar do Tribunal de Justiça do Estado, concedida na terça-feira, 6 de setembro de 2011, embargou a obra, que ficou, até o último final de semana, parada. A liminar foi revogada pela Justiça na semana passada, e o proprietário deu seguimento à demolição do prédio antigo.

A decisão não é definitiva e pode ser julgada ainda este ano.

POSICIONAMENTO

O imóvel pertencia a membros da família Migliorini, que se pronunciaram sobre o caso através de seu advogado, Roberto Tessele.

Segundo ele, quando a liminar foi revogada acabou-se a restrição para as obras de demolição. “Esse imóvel não se encontra tombado, então está resguardado o direito de propriedade. O processo continua tramitando, mas os proprietários estão confiantes em uma vitória definitiva”, salienta.

HISTÓRIA

O prédio é considerado patrimônio arquitetônico e cultural histórico pelo Conselho Municipal de Patrimônio e fazia parte de um cadastro de pré-tombamento elaborado pelo Conselho.

O sobrado é uma construção de 1924 e foi uma pousada e uma venda no auge do transporte ferroviário e da colonização alemã do município.