‘Somos todos iguais’ declara a presidente do Grupo Cultural Raízes Negras – Etnia Afro

0
92

Dia 20 de novembro é o Dia Nacional da Consciência Negra. Em Santo Ângelo, haverá a escolha da Mais

 O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil. 

Zumbi foi morto em 1695, na referida data, por bandeirantes liderados por Domingos Jorge Velho. A data de sua morte, descoberta por historiadores no início da década de 1970, motivou membros do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial, em um congresso realizado em 1978, no contexto da Ditadura Militar Brasileira, a elegerem a figura de Zumbi como um símbolo da luta e resistência dos negros escravizados no Brasil, bem como da luta por direitos que seus descendentes reivindicam.
Com a redemocratização do Brasil e a promulgação da Constituição de 1988, vários segmentos da sociedade, inclusive os movimentos sociais, como o Movimento Negro, obtiveram maior espaço no âmbito das discussões e decisões políticas. A lei de preconceito de raça ou cor (nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989) e leis como a de cotas raciais, no âmbito da educação superior, e, especificamente na área da educação básica, a lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que instituiu a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-brasileira, são exemplos de legislações que preveem certa reparação aos danos sofridos pela população negra na história do Brasil.
A figura de Zumbi dos Palmares é especialmente reivindicada pelo movimento negro como símbolo de todas essas conquistas, tanto que a lei que instituiu o dia da Consciência Negra foi também fruto dessa reivindicação. O nome de Zumbi, inclusive, é sugerido nas Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana como personalidade a ser abordada nas aulas de ensino básico como exemplo da luta dos negros no Brasil. 
A presidente do Grupo Cultural Negras Raízes – Etnia Afro de Santo Ângelo, Neusa Farias, acha muito importante a data, pois além da figura negra ser lembrada, é um momento quando entende-se que todos somos iguais.
“O dia 20 de novembro vai contra o dia 13 de maio (Dia da Abolição da Escravatura), segundo os movimentos negros do Brasil, que começaram pedindo para ocuparem posições e deixarem de serem discriminados. Isso acontece porque no 13 de maio o negro ficou sem direitos, pois ficou sem escola, alimentação e sem direitos de frequentarem lugares”, declarou.
Neusa acredita que existe a raça negra, porém isso não é o motivo para o tratamento diferenciado das pessoas, pois ela acredita que todos por serem humanos, e independente da cor, devem ter o mesmo direito e tratamento. Por isso acredita que essa data é de extrema importância para os direitos dos negros serem adquiridos.

EVENTO EM SANTO ÂNGELO
Hoje a noite será promovido um evento em alusão a data às 20h30, no Clube Galerno. 
O evento é realizado por Valquira Soares, Carlos Santos e Gilberto Corazza. 
O evento terá na abertura oficial Neusa Farias, falando sobre o sentido do 20 de novembro.
Após, haverá um desfile da escolha da Mais Bela Negra de Santo Ângelo. Participarão oito meninas.
Serão jurados a professora Zaira Vargas, o cabelereiro Ale Ferrari; Rita Martel representando o IF Farroupilha, José Machado, representando a comunidade Kilombola do Araça, a Miss Popularidade, Danny Monega, e o professor Leandro Daronco.
Após esse momento, será servido o jantar em comemoração ao Dia Nacional da Cosciência Negra.
 

CANDIDATAS AO TÍTULO DE MAIS BELA NEGRA DE SANTO ÂNGELO

Agatha Nunes Duarte – 17 anos – Bairro Aliaça

Chiara Machado Maciel – 17 anos – Bairro Indubras
Edivania Bueno Varletti – 17 anos – Bairro Ditz
Micaela de Oliveira Soares – 17 anos – Bairro São Pedro
Tamily Fontoura Cancolatto – 17 anos – Bairro Missões
Shelsea Liriel de Oliveira Adgrisani – 14 anos – Bairro Pilau
Camila Diniz dos Santos – idade não informada – Bairro Maria Ritter
Leandra Vitória Rodrigues – 15 anos – Bairro Pilau