Traçado missioneiro está incluído nos estudos de viabilidade da Norte-Sul, afirma empresa que faz projeto de estruturação da ferrovia

0
104

A Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., de Brasília, empresa responsável pela execução do projeto de estruturação da ferrovia Norte-Sul, aprovou a proposta dos prefeitos missioneiros e incluiu a região das Missões nos estudos técnicos sobre os melhores traçados que serão implantados no trecho do Sul do país. A declaração foi feita pelo engenheiro Bruno Costa, da Valec, na audiência pública que aconteceu em Santa Maria, na sexta-feira (6), que tratou sobre o assunto. Promovida pela Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa e Câmara Municipal, a reunião foi conduzida pelo deputado estadual Valdeci Oliveira e reuniu lideranças da região das Missões, Centro, Fronteira Oeste, Alto Jacuí, entre outras, além de participantes do Uruguai. A vice-prefeita de Santo Ângelo, Nara Damião, representando a comissão de trabalho da Associação dos Municípios das Missões (AMM), integrou a mesa de trabalhos da audiência pública. De Cerro Largo, estiveram presentes o vice-prefeito Canísio Schmidt e o ferroviário João Eurípedes Rocha dos Santos, que atuou na conservação das linhas em toda a região das Missões, até se aposentar.

O prefeito anfitrião Cesar Schirmer e o deputado Valdeci Oliveira destacaram a perseverança da AMM para consolidar o traçado missioneiro. O presidente da Associação dos Municípios das Missões, composta por 26 cidades, prefeito René José Nedel, ficou satisfeito com a informação da Valec. Ele garantiu que o trabalho agora será acionar autoridades federais e estaduais de diferentes partidos para auxiliarem na viabilização de uma audiência com o ministro dos Transportes, ainda neste mês de dezembro, quando será solicitado o apoio à proposta missioneira. “Nossa região precisa da ferrovia para fomentar a economia e o turismo”, acrescentou. A vice-prefeita de Santo Ângelo reiterou que, agora, a luta terá que ser política. “A partir desta audiência pública faremos grande mobilização em Brasília junto ao ministro dos Transportes, que, definitivamente, é quem tem a caneta da decisão para que o traçado missioneiro seja aprovado pelo governo federal”, explicou Nara Damião.