Turno único nas prefeituras e crise dos municípios serão debatidos na reunião da AMM

0
85

Na quinta-feira (19), os 26 prefeitos que congregam a Associação dos Municípios das Missões (AMM) vão se reunir em São Paulo das Missões na assembleia mensal da Associação, para discutir, entre outros assuntos, a implantação nas prefeituras do turno único de trabalho. Mesmo com um tema tenso como a crise financeira das prefeituras, a prefeita anfitriã Noeli Ruwer promete uma receptividade especial, em razão do encontro acontecer durante as festividades alusivas à Semana Farroupilha.

A assembleia da Associação dos Municípios das Missões começa às 9 horas e será no salão da Escola Rieger, na Rua Monsenhor Estanislau Wolski, em São Paulo das Missões.

Auxílio Financeiro

No último dia 12 o governo federal liberou a primeira parcela do Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM) no valor de R$ 1,5 bilhão, que estava prometido para o dia 15 de setembro. Aproximadamente 100 milhões foram destinados aos municípios gaúchos. Com o mesmo valor, o pagamento da segunda parcela está previsto para abril de 2014.

No entanto, segundo os prefeitos da AMM, os valores, que tinham sido prometidos pela presidente Dilma Rousseff durante a Marcha a Brasília em julho deste ano, não são suficientes para resolver a grave crise financeira que afeta as prefeituras, em consequência da diminuição na arrecadação.

Administração da crise

Os prefeitos da Associação dos Municípios das Missões, que foram surpreendidos pela crise financeira logo no início da gestão, estão procurando administrar a questão levando em consideração as características de cada comunidade. A adesão do turno único de serviço, como uma forma para economizar nos custos da manutenção da máquina administrativa, é só uma das alternativas que estão sendo implantadas por eles.

O presidente da AMM e prefeito de Cerro Largo, Renê José Nedel, fez questão de ressaltar o empenho do presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski. “Ele tem sido um grande baluarte para a nossa região, sempre em defesa dos interesses dos municípios, com um olhar especial para o Rio Grande do Sul”, destaca.

Quanto ao auxílio financeiro liberado, Renê Nedel evidenciou que pode ser utilizado de acordo com as prioridades de cada prefeitura. “Tudo o que vem do Governo Federal nos ajuda, especialmente este recurso que foi repassado para livre ocupação dos municípios.”