Usinas da Cermissões estão paradas há seis meses

0
83

A seca na região das Missões não afeta somente o setor agrícola.

A produção de energia está parada há 6 meses junto à Cooperativa de Distribuição e Geração de Energia das Missões – Cermissões, que possui sua sede na cidade de Caibaté.

A suspensão da produção energética atinge as duas usinas hidrelétricas da Cooperativa, a Ijuizinho no município de Entre-Ijuís e a Claudino Picolli, em Santo Ângelo.

A suspensão completa neste sábado (19) 200 dias.

O nível do Rio Ijuizinho está 1,5 metros abaixo do normal, e do Rio Comandaí, 80 centímetros.

A Cermissões possui uma capacidade instalada em suas duas usinas de 4 mil megawatts (MW), o que corresponde a 25% da sua demanda necessária para garantir o abastecimento de 28 mil consumidores espalhados em 27 municípios da região das Missões.

“Com as turbinas paradas, o prejuízo total já ultrapassa R$ 1,2 milhão”, afirma Jorge Laerte Souza, coordenador técnico da Cooperativa.

Para garantir o abastecimento e evitar cortes de energia aos seus associados durante os meses de janeiro a abril, a Cermissões precisou comprar mais energia da concessionária Rio Grande Energia-RGE.

O aumento foi de 40% em relação à demanda mensal normal, que é de 4.200 MW.

Conforme Jorge Souza, devido à baixa tensão nas redes de abastecimento, a cooperativa não está liberando aos consumidores a instalação de novos equipamentos eletrodomésticos, agrícolas e eletrônicos, até que a geração de energia se normalize.

O coordenador técnico da Cooperativa estima que as duas usinas só voltarão a produzir energia se no mês de junho chover no mínimo 200 milímetros e elevar o nível dos rios.