Vazamento cloacal no calçadão a caminho de uma solução

0
109

A suspeita é de ligações irregulares despejando o esgoto cloacal doméstico na rede pluvial

Uma força tarefa formada pelas secretarias municipais de Meio Ambiente, de Obras e Serviços Urbanos e técnicos da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) dará início na próxima semana ao processo de investigação às causas dos constantes vazamentos de dejetos cloacais registrados na rede pluvial do Calçadão da Rua 25 de Julho e que tem provocado transtornos aos lojistas e moradores da área. O fato tem se registrado com frequência, principalmente em dias de muita chuva, com o transbordo de dejetos em frente aos estabelecimentos comerciais.

Na tarde de terça-feira (31), a situação voltou a se repetir e estiveram para ouvir os lojistas e vistoriar o local, os secretários de Obras e Serviços Urbanos, Diórlan Zanetti, o de Meio Ambiente Francisco da Silva Medeiros, o superintendente da Corsan em Santo Ângelo, João Corin, e o gerente da Unidade da Companhia, Araken Maicá. A suspeita, segundo os técnicos da Corsan, é de ligações irregulares despejando o esgoto cloacal doméstico ou sanitário na rede pluvial.

Os técnicos atestaram durante a vistoria, bueiros entupidos por copos descartáveis, papeis e restos de comida, além de dejetos humanos, o que evidencia as ligações irregulares. “Vamos realizar um trabalho de fiscalização prédio a prédio na próxima semana para, em se confirmando as ligações irregulares, dar um prazo para que os proprietários providenciem o correto direcionamento do esgoto sanitário das residências e/ou lojas para a rede cloacal”, afirmou Zanetti.

Conforme o superintendente da Corsan, a vistoria na rede será realizada por meio de testes com corante e o prazo para a adequação e para a destinação correta do esgoto doméstico será de 30 dias.

Para o secretário do Meio Ambiente Francisco da Silva Medeiros, é dever para com a sociedade realizar as ligações de esgoto proveniente de vasos sanitários, pias de cozinha e banheiros, tanques e chuveiros em tubulações próprias e adequadas. “Esses dejetos são levados pela rede pluvial diretamente aos mananciais que nos abastecem. Isto é: o efluente que é lançado no curso dos rios, voltará às nossas torneiras”, concluiu.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here