Ventos variaram entre 70 e 100 km/h

0
83

Corpo de Bombeiros registrou o destelhamento de mais de 140 casas

A quarta-feira (19) foi dia de reconstruir o que o temporal da noite de terça-feira destruiu. A chuva começou com trovoadas por volta das 19h30min. Em seguida, o vento forte começou a destruição. Segundo o Serviço de Informação de Tráfego Aéreo do Aeroporto Regional, naquele horário os ventos variaram entre 70 e 100 km/h, em Santo Ângelo.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, foram registrados mais de 140 destelhamentos e 20 quedas de árvores, sendo três em cima de casas e prédios.

As atenções da Defesa Civil municipal se concentraram junto ao quartel do Corpo de Bombeiros, onde foram distribuídos milhares de metros de lona preta para cobrir as casas temporariamente.

O DEPOIMENTO DE QUEM TEVE A  CASA DESTELHADA

Na rua Oldemar Steinhaus, número 1017, no bairro Neri Cavalheiro, zona norte de Santo Ângelo, o temporal destelhou parcialmente a casa do aposentado Augusto da Silva. “Quando terminou a luz só tive tempo de correr para pegar o celular e levar a minha esposa e meu filho de um ano até o porão onde fica a garagem e o telhado voou. Vivi momentos de muito terror e medo. Graças a Deus que ninguém se machucou”, conta o homem que tem problemas cardíacos.

No Bairro Ditz, na rua Otto Kiechle, na casa de Adi Fonseca, o telhado desabou sobre a sala e a garagem. Na manhã desta quarta-feira, vizinhos ajudaram a reconstruir parte da cobertura da residência. “Na hora do vendaval segurei a porta da garagem e parecia que o vento ia me levar”, recorda.

Na Avenida Venâncio Aires, zona sul da cidade, o telhado de uma garagem caiu sobre um automóvel. No Frigorífico Alibem, aconteceu o mesmo.

O comandante de socorro do Corpo de Bombeiros, Sargento Dálton Pereira Martins, explica como se proteger em dias de temporal para evitar tragédias. “O melhor lugar para uma pessoa se proteger é dentro de casa, em baixo de uma mesa ou debaixo do arco de porta. Evite sair na rua”, frisa.

FALTA DE ENERGIA

Desde as 20h de terça-feira, todo o efetivo técnico e executivo da RGE trabalhou com sua capacidade total para atender às demandas das cidades atingidas pelos fortes temporais.
Pelo menos 25 alimentadores e uma Linha de Transmissão se desligaram com o temporal.

As áreas de poder público, atendimento, assessoria de imprensa, além de todo o contingente técnico foram acionadas para atuação.

A RGE esteve com todas as suas equipes em ação para restabelecer o abastecimento nas áreas atingidas.

Granizo, fortes rajadas de ventos, intensas descargas atmosféricas e quedas de galhos de árvores sobre a rede foram às principais causas dos desligamentos.

Conforme o pluviômetro instalado nos estúdios da Super Rádio Santo Ângelo, no centro, a chuva atingiu 75 milímetros.

Prefeitura disponibilizou telefone para atender os atingidos

Em Santo Ângelo, equipes da Prefeitura de Santo Ângelo atuaram no socorro as vítimas.

Conforme o prefeito Eduardo Loureiro, um telefone junto ao seu gabinete foi colocado a disposição da população. O número direto ao gabinete do prefeito para as pessoas que tiveram danos materiais em suas casas é o (55) 3312-0114.

No início da manhã de ontem o prefeito determinou que a Secretaria de Habitação adquirisse nova remessa de telhas e também de lonas pretas.

Além disso, esteve reunido com o comando do 1º Batalhão de Comunicações, que se colocou a disposição em disponibilizar soldados para auxiliar as equipes da prefeitura no trabalho de recuperação das residências atingidas.

O principal trabalho desenvolvido pelo Departamento do Meio Ambiente durante à noite e madrugada de hoje juntamente com os bombeiros foi a desobstrução de árvores caídas em ruas da cidade.

Além disso, o Departamento de Meio Ambiente trabalhou na remoção de árvores caídas sobre muros, grades e até em cima de algumas residências.