Santo Ângelo possui 383 casos registrados de portadores do vírus HIV

0
750
Programa atende 24 municípios da 12ª CRS, num espaço em anexo ao Posto 22 de Março. Foto: Oda Kotowski/JM

Oda Kotowski
[email protected]

O domingo (1º) é lembrado como o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. A data, criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU), tem o objetivo não apenas de informar sobre as maneiras de prevenção, mas também de conscientizar a população contra o preconceito e os estigmas que portadores do HIV sofrem na sociedade.

No mundo, há cerca de 36,7 milhões de pessoas vivendo com o vírus da doença, segundo dado da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, são aproximadamente 718 mil casos.

NÚMEROS DA REGIÃO

Na região da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) que abrange 24 municípios, o Programa Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/HIV) com sede em Santo Ângelo – no anexo ao Posto 22 de Março – contabiliza 777 casos.

Somente em Santo Ângelo, são 383 portadores do vírus. A faixa etária que com maior incidência no ano de 2019 é dos 16 aos 25 anos com significativo aumento na população idosa.

A coordenadora do programa, a biomédica Tassiana Faganello, acrescenta que em Santo Ângelo há outros 117 cadastros inativos, isto é, pacientes que sabem do diagnóstico mas optaram em não fazer o tratamento.

“Esses pacientes são portadores que fizeram o cadastro mas nunca mais voltaram ao programa para fazer o tratamento”, afirma.

ABANDONO DO TRATAMENTO

No município, existem outras 56 pessoas que abandonaram o tratamento. “São pacientes que não retiram a medicação há mais de 120 dias”, esclarece a coordenadora. De janeiro até novembro de 2019, foram cadastrados em toda a 12ª CRS, 64 novos pacientes. Neste mesmo período, foram registrados 10 óbitos em decorrência do HIV, somente em Santo Ângelo.

E para informar e esclarecer mais sobre a doença e a forma de tratamento é que neste domingo (1º), das 8h às 12h, profissionais da saúde estarão no Brique da Praça Leônidas Ribas distribuindo folderes e conscientizando para a prevenção.

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

O programa atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h e realiza testes rápidos de HIV, sífilis, hepatite B e hepatite C, distribuição de medicamentos e acompanhamento de pacientes. Também são realizados estes procedimentos gratuitamente nas unidades básicas de saúde e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Bairro Pippi.

No atendimento dos portadores trabalham um médico infectologista, uma técnica de enfermagem, um farmacêutico, uma psicóloga, uma secretaria, uma biomédica e uma médica pediatra. Após a realização de exames, os pacientes positivos para a doença são submetidos a consulta médica e psicológica e recebem medicação contínua vitalícia disponibilizada gratuitamente pelo Ministério da Saúde.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here